Por que adultos e crianças estão mais intolerantes ao glúten?

G1

Quem não aprecia um pãozinho quentinho e crocante no café da manhã?

Ou um prato de macarrão na hora da fome? Pois é! Quase todo mundo gosta, não é mesmo? De fato, estes alimentos fazem parte do cardápio de crianças e adultos já há alguns séculos.

Nos últimos anos, porém, pesquisas apontam que é cada vez maior o número de adultos e crianças que têm necessidade de suprimir o pão, o macarrão e outros alimentos derivados do trigo, principalmente, além do centeio, da aveia e da cevada. Entram nesta lista, por exemplo, as pizzas e alguns produtos processados como sopas, molhos, hambúrgueres, bolos, biscoitos e doces. Tudo isso por que estes alimentos contêm uma proteína que é motivo de muitos estudos neste início de século XXI: o glúten.

Mas… afinal de contas, o que é o glúten? E por que só agora ele está virando “vilão” para muitas pessoas?

O glúten é uma proteína complexa que pode causar uma reação importante no intestino conhecida como Doença Celíaca. As primeiras manifestações clínicas desta doença ocorrem nas crianças, entre 2 e 5 anos de idade. O glúten provoca o aparecimento de anticorpos que “atacam” e provocam uma importante lesão na mucosa intestinal. Isto resulta em uma “atrofia” da mucosa, que dificulta – ou impede – a absorção de alimentos essenciais para o crescimento e desenvolvimento. A barriga fica grande, como se fosse “inchada”, cheia de gases, surge uma diarreia crônica, mal-estar, fadiga, desânimo e anemia. Com a retirada do glúten da alimentação, este quadro reverte integralmente, e as crianças voltam a ganhar peso e a crescer. Só que não podem, em nenhuma hipótese, voltar a ingerir a proteína. Esta é a forma mais clássica de sensibilidade ao glúten, e esta doença é conhecida há mais de 100 anos.

Matéria completa disponível em G1

Projeto inclui pastores como beneficiários do “Minha Casa, Minha Vida”

FOLHA GOSPEL   

   Autoridades eclesiásticas poderão adquirir imóveis apresentando declarações de renda e tendo prioridade no atendimento.

   O senador Gim (PTB-DF) apresentou um Projeto de Lei do Senado (PLS) para dar prioridade a líderes religiosos no atendimento do programa “Minha Casa, Minha Vida”.
O PLS 18/2014 tem como objetivo criar algumas maneiras para diminuir a burocracia no programa para que padres, pastores, missionários e outros agentes credenciados por instituições religiosas consigam comprar imóveis.

O argumento do senador para apresentar este projeto é que muitas pessoas renunciam outras atividades profissionais para realizar o trabalho “de cunho essencialmente social”, mas encontram barreiras na hora de adquirir imóveis.

“A grande maioria dessas pessoas, espalhados pelo Brasil, não tem ainda sua moradia própria e continuam sem a perspectiva de tê-la diante das exigências de comprovante de renda do programa. Nada mais justo do que inserir essas pessoas entre os beneficiários do programa, eliminando tamanho entrave burocrático”, diz o texto do projeto.

 

Matéria completa em Folha Gospel

Fonte: Gospel Prime

Concurso Prefeitura de Ribeirão Preto – SP

CONCURSOS NO BRASIL

   A Prefeitura de Ribeirão Preto, no estado de São Paulo, por meio da Fundação VUNESP, publicou edital de concurso público n° 001/2014, com o objetivo de preencher 29 vagas para as funções de motorista, agente de administração e educador social (níveis médio e superior) por salários de até R$ 1.728,27 em carga horária de 40 horas semanais.

    As inscrições deverão ser realizadas somente pela internet, pelo site http://www.vunesp.com.br, no período das 10h de 23 de junho até às 16h de 25 de julho de 2014.

As taxas variam de R$ 35,00 para o cargo de Motorista e R$ 45,00  para os cargos de Agente de Administração e Educador Social.

As provas serão aplicadas na data provável de 14 de setembro de 2014. A confirmação da data e as informações sobre o local, horário e sala para a realização da prova deverão ser acompanhadas pelo candidato por meio de Edital de Convocação a ser publicado no Diário Oficial do Munícipio de Ribeirão Preto.

O prazo de validade do concurso público é de dois anos, a contar da data da publicação da homologação, podendo ser prorrogado uma única vez por igual período, a critério da Prefeitura.

Matéria disponível em Concursos no Brasil

Movidos (ou não) pela água

R7

   Rachel Prince, de 24 anos, sofre com um grave problema: ela tem alergia à água. A condição, chamada de urticária aquagênica, não permite que ela tome banhos longos, nade na piscina, beba um copo de água gelado ou, por mais incrível que pareça, beijar seu noivo – por conta da saliva dele. Só de beijá-lo, ela já ficaria toda machucada.

   Me deixa triste, porque obviamente eu quero essa intimidade e proximidade, desabafa Rachel. Mas se Lee me beija no rosto, eu tenho que limpar na hora antes que a reação alérgica aconteça. É um pouco depressivo não poder beijar, mas Lee compensa de outras formas, sendo carinhoso e me comprando presentinhos.

O lado oposto de Rachel Prince

   Sasha Kennedy, de 26 anos, que mora em Essex, na Inglaterra, bebe 20 litros de água por dia. Ela carrega várias garrafas para qualquer lugar que ela vai e raramente dorme mais de uma hora por noite sem acordar para beber ou para ir ao banheiro, segundo o site Daily Mail. Ela vai ao banheiro 40 vezes todos os dias e chegou, até mesmo, a sair do seu emprego devido à falta de qualidade da água do local do trabalho.

   Apesar de exceder o máximo de litros de água que uma pessoa deve beber ao dia, recomendada pelos especialistas, os médicos disseram que Sasha não possui nenhum problema de saúde. Sasha disse: Eu sinto sede praticamente o tempo todo e sempre tenho que beber água – é um hábito viciante. O maior tempo que eu consegui dormir foi cerca de uma hora e 15 minutos, porque preciso beber água e ir ao banheiro.

   Ela começou a desenvolver esse hábito quando tinha dois anos. Na escola, ela tomava uma garrafa de água todos os dias e, durante os intervalos, ficava perto do bebedouro, enquanto as outras crianças brincavam. Aos 13 anos, ela já estava bebendo 12 litros de água por dia.

   Especialistas disseram que a condição de Sasha é rara, pois o consumo médio de água que um adulto faz é um pouco mais de 200 ml por dia. A nutricionista, Emma Derbyshire, disse: A hidratação feita com qualquer líquido é possível, mas em casos extremos pode ser perigoso. Mas, isso é muito raro.

 

Matérias disponíveis em R7 e R7