OMS diz que zika está claramente em regressão no Brasil

EXAME.COM

A epidemia de zika está claramente em regressão no Brasil, afirmou nesta segunda-feira a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma queda provavelmente relacionada com o fim do verão.

“A epidemia está em uma fase descendente no Brasil”, afirmou Marie-Paule Kieny, subdiretora-geral da OMS, em coletiva de imprensa em Paris. “O mesmo acontece na Colômbia e Cabo Verde”, acrescentou.

No entanto, observou que é impossível no momento saber se haverá uma reativação do vírus no futuro.

No Brasil, foram registrados 1,5 milhão de casos de zika e o vírus se estendeu a muitos países da América Latina.

Kieny indicou anteriormente que o vírus zika poderá se estender para outras zonas do mundo, como a Europa.

A respeito do risco de propagação da doença para a África, disse que por ora não há certezas.

“O vírus, e portanto a epidemia, poderá propagar-se para todos os lugares em que existe o vetor, por isso estamos organizando uma rede de vigilância na África”, afirmou.

Quase 600 cientistas participam nesta segunda e terça-feira no Instituto Pasteur de Paris em um simpósio internacional sobre o vírus zika.

Matéria disponível em Exame.com

WhatsApp criptografado: o que significa?

FOLHA GOSPEL

Suas conversas online estão mais seguras. Pelo menos é o que promete o Whatsapp, que esta semana anunciou que implementou uma “criptografia total”, decisão que aumenta a privacidade – mas que também pode gerar conflitos com organismos de segurança. Ao adotar a codificação de ponta-a-ponta, ou seja, entre o celular do remetente e do destinatário, a empresa se exime de fornecer dados de conversas para órgãos da justiça e polícia.

Não que a empresa, que faz parte do Facebook, alguma vez tenha colaborado com qualquer investigação. No ano passado, chegou a ser bloqueado pela Justiça brasileira, a quem deve R$ 12,7 milhões em multas. No início de março,o vice-presidente do Facebook no Brasil chegou a ser preso por não ter repassado informações de mensagens que circularam no aplicativo. Mas se antes ela se justificava dizendo que não guardava as mensagens, apenas repassava, agora pode dizer que nem lê o conteúdo (ou não tem como ler).

“Ninguém pode ver essa mensagem. Nem os cibercriminosos, nem os hackers, nem os regimes opressivos. Nem mesmo nós”, garantiu o Whatsapp, em mensagem oficial publicada no seu site. “Muitos aplicativos somente criptografam mensagens entre você e eles próprios, mas a criptografia de ponta-a-ponta do WhatsApp assegura que somente você e a pessoa com que você está se comunicando podem ler o que é enviado. Tudo isso acontece automaticamente: não é necessário ativar configurações ou estabelecer conversas secretas especiais para garantir a segurança de suas mensagens”, completa o comunicado.

Matéria completa disponível em Folha Gospel