Desejando a você um 2015 abençoado… e com muitas possibilidades

DA REDAÇÃO

Que tal sonhar mais um sonho? Caminhar por um novo caminho? Aceitar novos desafios?

Que tal fazer algo diferente, ainda mais empolgante? Que tal subir mais um degrau na escada, dar um passo adiante no caminho? Que tal abraçar com mais intensidade, sorrir com mais amor, apertar a mão de um modo diferente.

Que tal ler mais um livro, fazer mais um curso, aprender mais uma lição? Que tal ensinar o que você já sabe, compartilhar seus conhecimentos, trocar ideias?

Que tal amar ainda mais, viver ainda mais intensamente a vida que Deus dá, olhar com um toque de ternura?

Sempre há tempo para explorar novas possibilidades e ser uma pessoa diferente. E existe um novo tempo para se fazer tudo isso. Que tal nestes próximos doze meses?

Neste 2015, percorra um caminho diferente, explore as possibilidades. A mudança para um mundo melhor começa por você.

IEADERP – Desejando a você um 2015 abençoado… e com muitas possibilidades.

Anúncios

O que está faltando em seu casamento? – como recuperar aquilo que pode trazer alegria novamente em sua casa

Estudos Gospel Mais

     O que está faltando em seu casamento? – como recuperar aquilo que pode trazer alegria novamente em sua casa

   Texto – Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar?

     E achando-a, convoca as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida.
Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende. (Lucas 15:8-10)

    Introdução: Seu casamento pode não ter algo de incorreto, mas pode haver algo de incompleto. Nem sempre são as falhas que levam a uma crise conjugal, as faltas também podem produzir o mesmo efeito. Pense no que o tempo ou as circunstâncias levaram da sua relação.

     Talvez em seu relacionamento não seja necessário adicionar nada de novo, apenas que se resgate o velho e dê a ele um novo valor e sentido.
O texto acima servirá de plataforma para as reflexões a seguir. Então, vamos para a seção de achados e perdidos de Lucas e descobrir o que podemos aprender com as perdas, bem como reencontrar aquilo que por uma razão ou outra se perdeu.

1. Jamais perca a capacidade de perceber as perdas – mantenha um coração sensível aquilo que está se perdendo na relação. Cuidado com a indiferença e a insensibilidade as perdas. A mulher no texto, ao perceber a perda se colocou de pronto a procurar.

2. Não tente encontrar fora de casa o que você perdeu dentro dela – não tente procurar fora, não porque você não vá encontrar, mas porque você com certeza vai encontrar! Se perdeu o diálogo, o carinho, o sexo etc. Tudo isso pode ser encontrado do lado de fora, porém ao encontrar o que se perdeu do lado de fora, você acabará perdendo tudo o que sobrou dentro de casa, além da própria casa!

3. Não deixe que o que você tem o distraia daquilo que lhe falta e nem que aquilo que lhe falta o cegue para aquilo que ainda você tem – perder pouco não é razão para a acomodação e perder muito não é motivo para desespero! Cuidado que pequenas perdas podem ser um prefácio para perdas maiores.

4. Encontrar o que se perdeu não depende somente de um grande esforço, mas dos meios adequados – não basta levantar poeira, porque isso pode causar uma confusão maior ainda! A mulher usou a vassoura e a lâmpada e você pode usar o apoio dos irmãos, a oração, o perdão e a Palavra!

5.Cuidado para que na tentativa de recuperar o que se perdeu você não acabe perdendo o que ainda sobrou – limpeza sem iluminação gera cansaço e confusão!

6. Pequenas perdas não devem ser confundidas com perdas menores – o pequeno nem sempre é insignificante!

7. Deus pode permitir pequenas perdas para que maiores não ocorram e também para que alcancemos ganhos maiores – uma perda temporária pode nos assegurar uma posse definitiva. Na recuperação do que se perdeu você alcançar ganhos que nunca imaginou.

8. Faça dos pequenos achados um motivo para uma grande festa – celebre a recuperação das pequenas coisas com grande entusiasmo!

     Para pensar – “A alegria do reencontro superará a dor da perda e o esforço da busca!”

Por Anderson Zem

Estudo disponível em GOSPEL MAIS

A crise por trás da crise

JORNAL SEMEANDO A PALAVRA

É interessante como a mídia dá tanto enfoque  quando a economia e a política dão seus primeiros sinais de crise: são manchetes, entrevistas, debates com analistas, etc. É como se dependêssemos só e somente delas para que as nossas vidas se tornem um mar de rosas. Não restam dúvidas de que são importantes setores do governo e que requerem, sim, atenção especial. Entretanto, há outros setores que precisam urgentemente e que merecem também cuidados especiais, mas, infelizmente, não recebem o mesmo tratamento.

Há muito tempo existe crise na educação, mas soluções, mesmo que só no papel e quando aparecem, são apenas paleativas. A saúde já faz tempo que saiu da UTI, mas não para ir para o quarto e sim para o IML. Ela é, sem dúvida, o último recurso de uma população que está morrendo à míngua. Somente quando as epidemias matam em série é que a imprensa sensacionalista dá o destaque macabro. Sem falar das crises da segurança, da justiça e da maldita corrupção que tem se manifestado em vários órgãos públicos, cujos indícios têm derrubado medalhões do governo. Mas, não podemos esquecer que essa maldição está presente também no setor privado e tem até quem seja especialista em seduzir agentes públicos.

Por que será que há tanta atenção para aqueles em detrimento destes? Será que é porque quando aqueles não andam bem acabam atingindo em cheio uma elite privilegiada e que, vez por outra, recebem benefícios e deduções de impostos em prejuízo de toda uma população? Isso também não seria uma corrupção institucionalizada ou simplesmente uma injustiça? Sem fazer apologia à corrupção, é de se admirar o estardalhaço que a imprensa e setores da política fazem quando um desafeto partidário é apanhado com a boca na botija: é tanto barulho que, de maneira hipócrita, tentam passar para nós como se eles tivessem feito uma grande descoberta, enquanto nós sabemos que, às vezes, é apenas a ponta do iceberg.

Continuar lendo

por anunciarnews Postado em Artigos

A falta de preparo dos jovens cristãos para o mercado de trabalho

JORNAL ANUNCIAR

 Já é de conhecimento da maioria que vivemos num mundo corporativo cada vez mais competitivo. Por isso, devemos estar cada vez mais preparados para enfrentarmos os obstáculos e as empresas que estão cada vez mais exigentes.

O mercado atual exige dos candidatos muito mais do que uma simples formação no ensino médio ou no ensino superior. Essas formações, e outras como especialização, mestrado e até doutorado, já são essenciais hoje. Onde, então, faremos a diferença no momento da busca por uma vaga no mercado de trabalho? Como conseguiremos lidar com situações difíceis? Quais as ferramentas utilizadas para que exerçamos o nosso papel dentro do mundo corporativo? Qual a postura ideal a ser utilizada para resolver os problemas dentro das empresas?

A você, jovem, que já está atuante no mercado, o que está fazendo para melhorar o profissional que já existe dentro de você?

Não tenho dúvidas de que cada um de nós já nasceu dotado de uma capacidade intelectual incrível. No entanto, nem 10% dela é utilizada, segundo comprovações cientificas.

A pergunta que deixo é: o que você está fazendo com o que Deus te deu? Muitos jovens desistem dos estudos por se acharem incapazes de vencer os obstáculos da vida. Quantos já não perderam grandes oportunidades profissionais por não se encontrarem preparados no momento? O que a maioria das empresas busca hoje é por profissionais com conhecimento e vivência voltados para a resolução de problemas do dia-a-dia. Novas oportunidades surgem diariamente no mercado de trabalho. E onde estão os jovens preparados para esse mercado dinâmico?

  Continuar lendo

por anunciarnews Postado em Artigos

O que diz a teoria da evolução?

JORNAL SEMEANDO A PALAVRA

Charles Darwin e também Alfred Wallace, ambos britânicos do século XIX, chegaram a uma teoria muito parecida após realizarem seus estudos observando espécies de animais e vegetais.

Darwin publicou suas ideias em um livro denominado “A origem das espécies” e sua teoria foi sendo cada vez mais estudada com o passar dos anos. Atualmente, ela é amplamente aceita no meio científico. A teoria da evolução, ou darwinismo, fala sobre o surgimento das espécies e, em nenhum momento, discute a respeito da origem do universo. Uma espécie biológica é definida como sendo formada pelos organismos que podem se acasalar e deixar uma nova geração fértil, capaz de gerar novos descendentes. Para Darwin, uma espécie pode dar origem a uma espécie após centenas de anos. Isto aconteceria porque existe uma variação nas características observadas nos indivíduos. Por exemplo, na espécie humana, vemos que as pessoas possuem diferentes características como cor da pele, altura… Darwin afirmou que, sob determinadas circunstâncias, algumas características poderiam favorecer um grupo de indivíduos e, assim, esses estariam mais aptos a sobreviverem e a procriarem.

Vamos criar um exemplo muito simples para esclarecer como isso aconteceria: um grupo de animais vive em uma floresta e se alimenta de algumas plantas de fácil mastigação que vamos chamá-las de plantas “moles”. Neste mesmo grupo, alguns animais, devido às diferenças genéticas, são capazes de ingerir e se alimentar de plantas mais resistentes e de difícil digestão, as chamadas plantas “duras”. Se nesta floresta, por algum motivo, as plantas “moles” não forem mais encontradas, apenas os animais que puderem comer as plantas “duras” sobreviverão. Com o passar do tempo e das gerações, uma nova população, apresentando esta característica, seria dominante naquele local e, devido ao isolamento desse grupo e às alterações genéticas, uma nova espécie diferente da original surgiria neste ambiente. Isto é: esta nova espécie teria evoluído da espécie original. Assim, para Darwin, as espécies viventes são, de alguma forma, aparentadas entre si. No caso da espécie humana, por exemplo, os macacos seriam nossos parentes mais próximos (o homem e os macacos teriam se originado de um mesmo organismo vivente há milhares de anos).

Mas, por que essa teoria foi aceita pelos cientistas? Os fósseis são considerados a prova mais objetiva de que muitas espécies existentes no passado, hoje, já não existem mais. Entretanto, considerando as análises realizadas nesses fósseis, muitos organismos vivos teriam se originado dessas espécies do passado. Um exemplo muito conhecido são os dinossauros, que teriam dado origem aos répteis atuais. Além disso, as espécies que hoje existem possuem muitas semelhanças durante o desenvolvimento embrionário, na sua estrutura, no funcionamento de seus organismos, o que seria indicativo de um parentesco comum, como afirmava Darwin.

Continuar lendo