2014 já chegou! Vamos buscar os nossos sonhos?

REDAÇÃO

   Olá queridos leitores do blog Anunciar News!

   Estamos novamente aqui, com o objetivo de continuar trazendo informações úteis a todos. Mas, 2013 já é passado. Chegou 2014. Chegou o ano novo. Não conseguiu realizar aquilo que desejou no ano passado? Não colheu bons frutos nesse ano que se findou? Tentou trazer conquistas, mas não conquistou nada? Que tal buscarmos esses sonhos agora, em 2014? Use os aprendizados conseguidos de 2013 para prosseguir ainda mais forte em 2014. Não estamos propondo apenas “continue sonhando”. Nada disso! Seria um desejo, digamos, simplista e sem compromisso. Estamos desejando que cada um de nós busquemos os nossos sonhos como alguém que busca um grande amor ou um grande tesouro precioso. E essa busca deve ser acontecer mediante a definição de estratégias sólidas. Trace um plano e corra em direção a ele. Isso desejamos a todos neste começo de 2014.

   E Deus abençoará a todos ao ver que a nossa parte estamos fazendo com afinco.

   Então, feliz ano novo!

   São os votos da IEADERP

Anúncios

Eu tenho um sonho

 Pensando na palavra do pastor Martin Luther king intitulado “Eu tenho um sonho”, resolvi relatar o que seria, para mim, um sonho, sem a pretensão ou a presunção de também pensar e comparar com aquilo que DEUS tem reservado para minha vida e as bênçãos que Ele tem reservado para meu ministério pastoral. Na minha perspectiva como pastor, tenho centrado meus objetivos naquilo que a palavra de Deus orienta. Penso que não seria somente um sonho particular, mas de todos os líderes comprometidos com o evangelho de Cristo. Mas, sei que a perspectiva de Deus é muito maior do que aquilo que eu sonho. Ele deseja que sejamos perfeitos.

Em meio a tantas adversidades vividas no cotidiano da igreja, por vezes me pego fazendo a seguinte pergunta: o que Deus faria em meu lugar? O que Deus pensaria sobre isso? Sonho com tantas coisas que poderiam acontecer que, aquilo que entristece meu coração, não poderá ser comparado ao sentimento de Deus. Minha decepção não se compara à decepção de Deus frente ao desrespeito às atitudes de muitos crentes.

Eu tenho um sonho de ver crentes comprometidos com seus ministérios sem que, necessariamente, tenham que ser cobrados ou empurrados para fazer alguma coisa. Sonho em ver crentes que tenham com a obra de Deus a mesma dedicação e empenho que exercem em seus trabalhos seculares. Cristãos que sejam motivados pelo senso de responsabilidade diante do Senhor. Cristãos que não esperam aplausos de homens, mas que desejam honrar o Senhor com o seu melhor.

Sonho em ver pessoas fieis ao Senhor, fieis em seus dízimos, que contribuam sem aquele sentimento de que está dando a Deus as sobras, mas, sim, com a convicção de que estão devolvendo a Ele os frutos das bênçãos que receberam. Sonho com uma Igreja composta por pessoas 100% fieis em seus dízimos e ofertas, ou seja, de crentes que entendam que o dízimo é do Senhor. Sonho com cristãos dizimistas, mas que o são sem esperar bênçãos em troca. Que entendam que isso é algo natural, uma forma de reconhecimento das bênçãos de Cristo. Que reconheçam que o dízimo é fundamental para a manutenção da obra do Senhor. Quando isso não acontece, a Igreja passa por dificuldades financeiras, o que não deveria acontecer se os membros soubessem o real valor e o alcance que o dízimo possui.

Sonho em ver os irmãos indo à igreja com o objetivo de adorar somente o Senhor e atentos à orientação de Deus. Irmãos que, ao ouvirem a palavra Dele, as pratique. Irmãos que sejam santos fora e dentro das quatro paredes do templo. Irmãos que paguem suas contas de maneira honesta e honrem seus compromissos. Irmãos que sejam bênçãos na família, que sejam motivo de orgulho no trabalho, na escola, na sociedade e, principalmente, em seus lares.

Sonho em ver cristãos que vivam, na família, uma continuidade do culto de adoração a Deus que realizam dentro da igreja. Sonho em ver filhos que respeitem seus pais, pais que ensinem seus filhos no caminho do Senhor, maridos que amem suas esposas como a bíblia os orienta, homens e mulheres que fujam das tentações sexuais… E que o diabo seja derrotado em seus ataques.

Sonho em ver jovens que fujam da imoralidade sexual e entendam que o sexo antes do casamento é pecado. Sonho com crentes exercendo seus dons com humildade, sem nenhuma presunção de ser de maior valia na obra do Senhor. Sonho com adoradores que adorem o Senhor sem se preocupar com recompensas materiais, que são incomparáveis perto daquelas que o Senhor proporciona. Sonho com adoradores que não adorem somente com seus lábios, mas também com o coração.  Sonho com pregadores que ministrem por amor e não por necessidade de reconhecimento ou movidos por recompensas financeiras.  Sonho com pregadores que entendam que Cristo deve crescer e que somente poderemos ser usados como instrumentos para o engrandecimento do evangelho.

Sonho também com crentes que sejam submissos aos seus líderes e com líderes que adquiram autoridade para tal através de seus testemunhos e comprometimentos com a obra do Senhor. Sonho com um povo santo.

Seria isso um sonho ou uma utopia? Sim, esse sonho seria possível desde que cada cristão vivesse o pleno Evangelho de Cristo. Sonho em poder acreditar que tudo isso não seja apenas uma utopia, mas que seja real na Igreja de Cristo.

Na verdade, a certeza que tenho é que, um dia, todo esse sonho se concretizará, deixando de ser somente uma utopia. Isso acontecerá no grande Dia glorioso, em que Cristo buscará sua Igreja. E, então, esses sonhos se tornarão realidade.

Carlos Enrique Santana Rocha

Pastor da Igreja Batista em Nova Mutum (MT)

Faxina Interior

Jornal Anunciar

Para se realizar uma faxina em armários, de modo a abrir espaço para que novas coisas sejam guardadas, é necessário muito trabalho, disposição e coragem. É necessário coragem para se desfazer de coisas que só ocupam espaço, mas que não apresentam mais nenhuma utilidade. O desapego é o primeiro passo e, esse, não precisa de força, de escadas e muito menos de lata de lixo. Basta apenas conscientização na resposta das seguintes perguntas: há quanto tempo estou guardando essas coisas? Quantas
vezes eu precisei delas? Usei-as alguma vez durante esse tempo? Devo mantê-las apenas para dizer que tenho? Bem, eu vivi isso hoje, quando resolvi limpar e organizar os maleiros da minha casa. Percebi que, para arrumá-los, era necessário desarrumá-los primeiro. E que bagunça! Meu Deus! Parece que nunca ia terminar. Eu já me sentia perdida no meio de tantas coisas sem utilidade.

Depois de tantos dilemas, consegui, junto com a secretária, organizar os baús dos armários. Nesse momento, pensei em nossa vida espiritual. Será que, de vez em quando, não temos que fazer uma faxina em nós mesmos? Quantas coisas guardadas em nosso interior que ocupam espaços que deveriam ser preenchidos por coisas novas…
Que tal fazermos uma faxina em nosso interior? Primeiro, é preciso que respondamos as seguintes perguntas: há quanto tempo essas coisas estão guardadas? Quantas vezes eu precisei delas? Usei alguma delas durante esse tempo? Agora, organize todos esses “objetos”, colocando cada coisa em seu devido lugar. Antes, porém, coloque tudo fora… Sim, irá ficar uma bagunça. Mas, depois, calmamente, comece a separá-las. Você verá que os espaços vão sendo abertos e o “novo”, finalmente, começará a ocupar esses espaços vazios…
“Bora fazer uma faxina interior?”

Janice Santana Rosa

Leia mais no site ieaderp.com.br

RESPEITO – Uma das chaves para um casamento de sucesso

 FOLHA GOSPEL

Respeite os pais e a família de origem do cônjuge. Em todas as palestras que dou eu repito esta frase: A sua qualidade de vida conjugal e a duração do seu casamento pode ser determinada pela forma como você trata os pais e a família do seu cônjuge. Em cada família existe alguma pessoa difícil com a qual aprende-se a conviver, porém, nada justifica quando ele ou ela trata a família de origem do outro com falta de respeito e dignidade. Casais inteligentes sabem respeitar a família do outro.

Saber se relacionar com os sogros e com os cunhados pode resultar em muitos benefícios para o relacionamento conjugal. O casal Abrahão e Bertha Grinberg no livro Sogras de Noras Aprendendo a Conviver dá algumas sugestões que podem auxiliar as noras a conviver de forma harmoniosa com a sogra:

a) Seja política, diplomática e tolerante.

b) Respeite, seja realista e não interfira.

c) Acate o direito da outra à privacidade.

d) Evite críticas, ofensas pessoais e interferências.

e) Conselhos, só quando solicitados. Não faça comentários sobre a casa da outra. Cada um tem seu estilo.

f) Seja cordial. Evite discussões. Use a discrição e resolva os problemas com sabedoria.

g) Presenteie a sogra/nora, quando puder. Uma pequena lembrança encanta e, muitas vezes custa pouco. Cuidado com a hipocrisia.

h) Evite competição ente ambas. Só rivaliza quem se sente inferior e inseguro.

i) Mostre com palavras, e principalmente com atos seus interesses pela sogra/nora.

j) Não queira se fazer de superior. Quem assim procede está escondendo um sentimento de inferioridade. Evite o ócio. Mantenha-se ocupada. Pessoa ocupada não tem tempo para coisas mesquinhas.

k) Não interfira na educação dos netos, a não ser quando a nora lhe solicitar ajuda e orientação. Mesmo assim cuidado.

l) Respeite seus sogros. Eles são os pais de seu marido.

m) O convívio com a sogra é facilitado quando o amor ao marido é verdadeiro e profundo.

n) Não sejam competidoras. Prefiram ser cooperadoras. Tudo neste relacionamento é uma questão de limites. Quando observados trazem equilíbrio e saúde emocional para todos. Quando quebrados, instala-se o caos.

  Pr. Josué Gonçalves

Leia mais na Folha Gospel