Pesquisa mostra que evangélicos são maioria entre jogadores de futebol no Brasil

Folha Gospel

     Cerca de 33% dos jogadores de futebol no Brasil são evangélicos. É o que aponta uma pesquisa desenvolvida pelo UOL. A pesquisa mostrou ainda que 19% dos boleiros não possuem religião e 18% deles são católicos. Vinte e oito por cento dos jogadores de futebol preferiu não responder sobre esta questão, 2% declaram ser batistas. O levantamento do portal foi realizado com atletas das 12 maiores equipes do país.
     Em anonimato, participaram da pesquisa jogadores de Atlético-MG, Botafogo, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Fluminense, Grêmio, Internacional, Palmeiras, Santos, São Paulo e Vasco da Gama.
     O estudo tratou ainda sobre temas como bebidas alcoólicas, drogas e homossexualismo. Os dados obtidos mostraram que 56% dos entrevistados dizem que existir atletas gays atuando pelos grandes clubes do Brasil.
     Em relação às bebidas, a maioria afirmou consumir álcool com regularidade, 42% dos entrevistados disseram beber ao menos uma vez por semana. Já sobre as drogas, 66% garantiram jamais ter experimentado qualquer tipo.
     A pesquisa perguntou também sobre a controvérsia do sexo na concentração. A maioria dos atletas, 65%, declarou ser favorável a liberação e garantiram que o ato não atrapalha o desempenho dos jogadores dentro de campo.

Fonte: The Christian Post

Matéria disponível em Folha Gospel

Estudo revela que frequentar cultos pode acrescentar até três anos de vida; Antropólogo diz que descoberta “é uma das mais impressionantes dos últimos anos”

GOSPEL MAIS

     O antropólogo e escritor T. M. Luhrmann publicou um artigo no New York Times sobre o efeito da religião sobre a saúde de quem frequenta cultos em igrejas cristãs.

     Luhrmann realizou um estudo sobre o tema e publicou recentemente um livro intitulado When God Talks Back: Understanding the American Evangelical Relationship With God, ainda sem título em português (em tradução livre, pode ser entendido como “Quando Deus Responde: Entendendo a Relação dos Evangélicos Norte-Americanos com Deus”).

     “Uma das descobertas científicas mais impressionantes sobre religião nos últimos anos é que ir à igreja uma vez por semana faz bem. Frequentar a igreja – e no mínimo, a religiosidade – melhora o sistema imunológico e diminui a pressão arterial. Isso pode acrescentar até dois ou três anos de vida. A razão para isso não está inteiramente clara”, diz Luhrmann.

     No artigo, Luhrmann afirma que outros pesquisadores chegaram a conclusões semelhantes: “Um estudo realizado na Carolina do Norte descobriu que fiéis frequentes tinham redes sociais maiores, com mais contatos, mais afeição e mais tipos de apoio social do que as pessoas que não frequentavam igrejas. E nós sabemos que o apoio social está diretamente ligado a uma saúde melhor”, observa o antropólogo.

     As doutrinas pregadas pelas igrejas também contribuem para uma vida significativamente mais saudável, segundo Luhrmann: “O comportamento saudável é, sem dúvida, outra parte. Certamente muitos fiéis lutam com comportamentos que gostariam de mudar, mas, em média, os frequentadores regulares de igrejas bebem menos, fumam menos, usar menos drogas recreativas e são menos sexualmente promíscuos do que os outros”, pontua.

     A fé, para os cristãos, é algo que simboliza a crença no que não é visível, mas real. Para Luhrmann, a convivência com esse exercício pode proporcionar experiências positivas, com influências diretas na saúde.

     “Qualquer religião demanda que você vivencie o mundo como algo mais do que é apenas material e observável. Isso não significa que Deus é imaginário, mas que, como Deus é imaterial, os que creem nele precisam usar sua imaginação para representar Deus. Para conhecer Deus numa igreja evangélica, você deve experimentar o que só pode ser imaginado como real, e você deve experimentar isso como algo bom”, conceitua o antropólogo.

     Lurhmann diz que a comunidade científica tem “cada vez mais provas de que o que os antropólogos chamariam de ‘curas simbólicas’ têm efeitos físicos reais sobre o corpo. No cerne de alguns destes efeitos misteriosos pode estar a capacidade de confiar que aquilo que só pode ser imaginado seja real, e seja bom”.

Matéria completa disponível em Gospel Mais

Band pode cancelar sua programação religiosa

FOLHA GOSPEL

     Este pode ser o último ano das igrejas evangélicas no espaço nobre da programação da Band. Um dos motivos é o bom momento do Grupo Bandeirantes.

A maioria das suas empresas, especialmente a TV, tem apresentado resultados muito positivos, a ponto de diretores importantes se colocarem contra a continuidade de R.R. Soares ou de qualquer outro programa religioso em horários estratégicos da grade.

O assunto da igreja, ao longo dos últimos anos, esteve restrito ao dono Johnny Saad e família, que sempre consideraram a entrada do dinheiro imprescindível para a saúde da empresa, mesmo com os inevitáveis prejuízos na audiência e da influência negativa na programação.

A situação do momento é outra. Dizem que a saída do bispo nunca esteve tão próxima. Alguns, inclusive, já colocam em termos definitivos: é agora ou nunca.

Fonte: Coluna de Flávio Ricco – Diário de São Paulo

Matéria disponível em Folha Gospel

São Paulo é a 2ª cidade mais cara para se ter um carro

Diário do Grande ABC

     Levantamento feito pela Economist Intelligence Unit (EIU), braço de pesquisas da revista britânica The Economist, mostra que a cidade de São Paulo é a segunda mais cara para se ter um carro em um grupo de 14 metrópoles selecionadas.

     À frente de São Paulo está Xangai, na China. O levantamento leva em conta o preço dos veículos e os custos de manutenção. As cidades dos países emergentes estão nas primeiras colocações basicamente por causa do preço dos carros. Para efeitos de comparação, segundo o estudo, para se comprar um carro em São Paulo se gasta pelo menos três vezes mais que em Tóquio.

     Depois de São Paulo, aparece na terceira posição no ranking da Economist Intelligence Unit Nova Deli, na Índia, mais uma cidade de país emergente. Segundo a publicação, nestes países os itens de luxo importados pagam impostos muitos elevados, o que leva ao aumento nos preços. No caso das pesquisa foram usados veículos Mercedes e Audi, para permitir a comparação internacional.

     Já nos países ricos os custos com manutenção e combustíveis são mais pesados, pois os orçamentos das famílias estão mais apertados por conta da crise global.

     A EIU cita o caso da Grã Bretanha, onde desde 2007 os preços dos combustíveis tiveram reajuste de 50%. Londres ocupa a décima colocação no ranking. Roma, capital italiana, ocupa o quarto lugar. Já o menor custo é registrado em Zurique, na Suíça.

     As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

Matéria disponível em Diário do Grande ABC

Governo autoriza reajuste de até 6,31% no preço de remédios

FOLHA DE S. PAULO

     O governo autorizou nesta quinta-feira (4) o reajuste de até 6,31% no preço dos medicamentos. A alta no preço depende da categoria dos remédios.

      Para os de nível 1 (medicamentos em que a participação de genéricos no mercado é igual ou superior a 20%), o reajuste máximo será de 6,31%.

      Para os de nível 2 (medicamentos com participação de genéricos entre 15% e 20%), o reajuste máximo será de 4,51%.

     Para os de nível 3 (medicamentos com participação de genéricos abaixo de 15% do mercado), o reajuste máximo será de 2,70%.

     O reajuste foi autorizado pela CMED (Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos) e publicado no “Diário Oficial da União” de hoje.

     Em 2012, o reajuste autorizado pelo governo para medicamentos vendidos em todo o país chegou a 5,85%.

    Segundo o Sindusfarma (Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo), se todos os medicamentos forem reajustados pelos índices máximos autorizados, o aumento médio ponderado será de 4,59%.

INFLAÇÃO

     A entidade criticou o reajuste, dizendo que o percentual é baixo e não repõe as perdas para a inflação. “Mais uma vez, o governo aplicou um discutível cálculo de produtividade que reduz o índice de reajuste e prejudica muitas empresas, ao impedi-las de repor o aumento de custos de produção do período”, informou o Sindusfarma, em nota.

     As indústrias de produtos farmacêuticos em São Paulo diz que, em 2012, os medicamentos subiram em média 4,11% e a inflação, 5,84% segundo o IPCA (índice de inflação oficial do governo, medido pelo IBGE).

RENTABILIDADE

     “Desde 2011, a indústria farmacêutica enfrenta fortes pressões de custo, principalmente com pessoal, insumos e matérias-primas”, diz o Sindusfarma. “Até agora, o setor absorveu esse impacto, mas em contrapartida experimentou queda de rentabilidade.”

     O setor diz que “a continuidade dessa situação vai afetar a saúde financeira das empresas, podendo comprometer o lançamento de produtos e os investimentos necessários ao desenvolvimento de medicamentos inovadores”.

Matéria disponível em Folha de S. Paulo

Incomodados com som, pai e filho invadem igreja e atiram contra jovem

Folha Gospel

     Um adolescente, de 16 anos, levou um tiro de raspão no braço e foi agredido com chutes e socos após um culto na Igreja Assembléia de Deus Ministério Gerizim, na noite deste sábado (23) no Jardim Santa Clara, em Sumaré (SP

     Os suspeitos da ação são vizinhos do templo e estariam incomodados com o barulho, segundo a Polícia Militar. Eles foram presos.

De acordo com o pastor titular da igreja, Alessandro Ricardo Pereira Godoy, os agressores são pai e filho, um de 57 anos e outro com idade entre 20 e 30 anos. Um pastor, de Bertioga (SP), também foi agredido, segundo testemunhas. Cerca de 30 pessoas estavam no local na hora da confusão, por volta das 21h.

Godoy disse que após o culto terminar os suspeitos atravessaram a rua e começaram a agredir com tapas e socos o religioso de Bertioga, que falava ao celular na calçada. Após a confusão, o suspeito de 57 anos voltou para casa, pegou uma arma de fogo e foi para dentro do templo do Ministério Gerizim.

Ameaças

Na a igreja, apontou a arma para o pastor Godoy, que se escondeu no banheiro. Depois, pai e filho teriam ido em direção ao jovem de 16 anos para agredi-lo.

A cozinheira Lindinalva Pereira Cunha, que estava no culto, relata que tentou separar o adolescente dos agressores, mas não conseguiu. Depois de dar socos e pontapés no rapaz, o homem deu um tiro à queima roupa que acertou o braço do jovem.

Ele foi levado ao Hospital Estadual de Sumaré e não corre risco de morte. “Foi muita crueldade. Tentou matar um menino de 16 anos. Tentei separar, mas eles me jogaram do altar”, lembra Lindinalva. Na igreja ainda havia marcas de sangue na manhã deste domingo.

Tiros

     Depois de atirar contra o jovem o vizinho foi procurá-lo no banheiro, segundo o pastor. Como a porta estava trancada ele deu um tiro na fechadura, que ficou destruída. O religioso conseguiu fugir e o suspeito teria disparado dentro do banheiro feminino e no teto do templo. Ao saírem da igreja pai e filho foram detidos pela Polícia Militar.

O G1 foi até a casa dos suspeitos, mas ninguém quis comentar o caso. De acordo com a Polícia Civil, o caso foi registrado como tentativa de homicídio.

Fonte: G1

Matéria disponível em Folha Gospel

Bíblia FreeStyle se torna alvo de severas críticas de líderes evangélicos

GOSPEL MAIS

     O projeto Bíblia FreeStyle, uma iniciativa do pastor Ariovaldo Jr. que “traduz” a mensagem bíblica com uma linguagem popular e se utiliza da técnica da paráfrase para construir seus textos, vem sendo duramente criticada no meio cristão.

     Na maioria das críticas, a reprovação está para o fato de haverem termos chulos e até palavrões na reapresentação das passagens bíblicas.

     O pastor Renato Vargens, da Igreja Cristã da Aliança, em Niterói, escreveu um artigo sobre o tema em seu blog, e desaprovou a contextualização feita: “Depois que vi que inúmeras pessoas estavam comentando o assunto resolvi  pesquisar sobre a Bíblia em questão. Infelizmente o que encontrei foi um trabalho absolutamente questionável e que na minha perspectiva depõe contra as verdades inequívocas e inexoráveis das Escrituras.  Até entendo que o desejo dos autores tenha sido contextualizar a Palavra de Deus tornando-a  acessível as mais variadas tribos, todavia, penso que ao fazê-lo banalizando o conteúdo bíblico os autores erraram e erraram feio”, criticou.

    Já Frank Brito, do blog Resistir e Construir, classificou a Bíblia FreeStyle como “abominação”, e atacou diretamente o autor da iniciativa: “Eu já conheci muita gente parecida com o Ariovaldo Jr., autor da Bíblia Free Style. São adultos que nunca conseguem superar atitudes típicas de crianças ou adolescentes problemáticas como, por exemplo, a constante necessidade de falar com muitas gírias e palavrões para se autoafirmar, mostrar o quanto são ‘descoladas’ e saciar a necessidade de muita atenção. Quando adentram no mundo cristão, são pessoas que, quando não são restauradas por Deus, simplesmente colocam uma roupagem cristã nestes mesmos desejos de antes. A raiz do problema por trás da Bíblia Free Style não é o próprio Ariovaldo Jr. Ele é só mais uma gota do grande oceano de clichês repetitivos dos ‘radicais’”, afirmou.

     No site da revista Ultimato, a sessão “Palavra do Leitor” publicou um artigo do reverendo Ângelo Vieira Da Silva, que propõe uma “reflexão” sobre a polêmica: “Creio que alguns cristãos ou líderes “conservadores” torcerão o nariz diante deste projeto idealizado pelos pastores Ariovaldo Jr. e Guilherme Burjack sem, ao menos, refletir. Posso conjecturar que o motivo inicial, naturalmente, poderá ser a dificuldade intrínseca de avaliar a BFS a partir de seu próprio pressuposto, quer dizer, de seus autores. Reconheçamos: ser diferente, pensar diferente, escrever diferente, agir diferente, enfim, muito de tudo que é diferente pode ser mal compreendido e criticado sem fundamentos e/ou reservas”, introduz.

     Para o reverendo Silva, a Bíblia FreeStyle não pode ser criticada como se fosse uma tradução literal da Bíblia Sagrada, e por isso, é necessário aguardar que o tempo mostre resultados: “A grande maioria dos cristãos conservadores (como eu) geralmente não está preparada para se relacionar com pessoas intensamente ‘diferentes’”, pontua o reverendo.

     Entretanto a ponderação feita pelo reverendo Silva não é compartilhada pelo pastor Márcio de Souza, que não admite o uso deliberado de palavras de baixo calão no âmbito bíblico, mesmo que isso aconteça num projeto que visa parafrasear a Bíblia a fim de atrair o interesse dos leitores para uma segunda leitura mais atenta.

     “Essa bíblia freestyle é uma brincadeira de mau gosto […] Vejam bem, não estou aqui para falar do caráter do autor da tal bíblia, nem para atestar se ele é crente ou não (isso é papel de Deus e eu não sou Deus) até porque nem o conheço pessoalmente. Mas combater ideias é o real objetivo desse artigo. Qual o problema da bíblia Freestyle? Pelo que pude ver, o problema está no excesso de contextualização. Existem dois problemas quando se trata de contextualização: A ausência dela e o excesso. Cá para nós, colocar palavrão na boca de Jesus é um pouco demais pra qualquer mente aberta que tenha a boa vontade de ler aquele texto. Não é questão de contestar as “palavras torpes” embora sejam, mas uma questão de que o texto bíblico não precisa disso. Quer causar, aparecer, tudo bem, é natural do ser humano querer atenção, mas desse jeito? Que preço hein. Não sou nenhum puritano e nas horas de raiva eu também falo palavrão, só pra ficar claro, mas não é por isso que eu vou sair por aí externalizando meus momentos de raiva nos meus textos, quiçá no texto bíblico. Meu momento de raiva, é só um momento, não um estilo de vida”, escreveu.

 Matéria disponível na íntegra em Notícias Gospel Mais

Estudantes colocam hino de time de futebol e receita de miojo na redação do Enem

FOLHA DE S. PAULO

     Num universo de 4,1 milhões de redação do Enem 2012, cerca de 300 textos apresentaram algum tipo de “inserção indevida”: trechos aleatórios e citações desconexas com o tema do ano passado –movimento imigratório para o Brasil no século 21.

     A irreverência do aluno, no entanto, não justifica uma nota zero, afirma o Inep, órgão do Ministério da Educação responsável pelo exame.

     Um aluno que usou um trecho de hino do Palmeiras em um dos parágrafos da prova recebeu nota 500, por exemplo. A nota máxima é 1.000 (…).

     A homenagem ao time ocupou parte de um dos quatro parágrafos do texto –os demais, seguiram o tema sugerido. Para o Inep, as palavras e expressões usadas estão “em estilo inadequado” e por isso o aluno foi penalizado.

   “Retirando-se do texto os trechos do hino transcrito pelo participante, ainda restaram ideias e argumentos aproveitáveis ao desenvolvimento do tema”, afirma nota técnica do órgão a qual a Folha teve acesso.

   “A nota final, relativamente baixa, deve-se também aos numerosos erros de adequação da linguagem à escrita padrão”, completa a nota.

RECEITA

     Argumento semelhante foi dado para justificar a pontuação de redação que citou receita de Miojo, como revelou ontem o jornal “O Globo”. A escolha do aluno foi considerada “inoportuna e inadequada” –a pontuação final nesse caso foi 560.

     “Acrescente-se ainda que o texto, em sua totalidade, não fugiu ao tema, e não feriu os direitos humanos. Tampouco cabe dizer que o participante teve a intenção de anular sua redação, uma vez que dissertou sobre o tema e não usou palavras ofensivas”, justificou o MEC.

     Professores de redação, entretanto, ponderam que a nota dada ainda é muito alta. “No mínimo, o aluno não está levando a sério o trabalho de avaliação do Enem, o que já deveria ser motivo de repreensão”, afirma Waldson Muniz, professor de português do ensino médio do colégio Galois, em Brasília.

     “E ele fugiu completamente do assunto. É como se eu estivesse numa entrevista e começasse a falar de futebol. Onde está a sequência do raciocínio?”, questiona.

     Matéria completa disponível em Folha de S. Paulo

Estudioso afirma que boa relação com os pais facilita contato das crianças com a religião

GOSPEL MAIS

     Atualmente no Brasil o ensino religioso é uma disciplina facultativa nas escolas. Antes abordada como um ensino confessional, a religião é agora tratada nas escolas de forma para abranger o sincretismo religioso brasileiro, e busca o estudo de variadas religiões, do catolicismo ao candomblé, do espiritismo às crenças orientais.

     Porém, de acordo com o professor César Leandro Ribeiro, coordenador do Departamento de Teologia da PUC-PR, essa mudança de currículo escolar não traz um grande impacto para a religiosidade dessas crianças pois, segundo Ribeiro, essa é mais influenciada pelos pais do que pelo ensino formal.

   O professor explica que se a criança vai ter seu primeiro contato com a religião como algo positivo ou negativo, depende da significação que ela vai dar às descobertas, ressaltando que uma boa relação da criança com os pais ou com figuras de autoridade torna mais fácil a aceitação da religião.

  – A religiosidade está intimamente atrelada à experiência – comenta Ribeiro, ressaltando que há uma projeção da imagem da autoridade na imagem de Deus.

    César Ribeiro destaca, porém, que o oposto também acontece e que relações familiares negativas podem afastar os jovens da religião.

     Ribeiro falou também, segundo o portal Terra, sobre a forma que o ensino religioso está estruturado hoje na educação formal. Explicando que atualmente a maioria das escolas trabalha com o tema sem ensinar especificamente uma religião, o estudioso destaca que existe resistência a essas mudanças por grupos que defendem a volta do ensino confessional, nos moldes de pastorais, que atuam mais no campo da ação. A ação pastoral está associada ao catolicismo e é a forma que a igreja encontra de sair do campo das ideias e prestar serviços à comunidade.

     O professor explica ainda que outra problemática se apresenta pelo fato de muitas instituições de ensino no Brasil serem católicas ou de alguma ordem religiosa específica. Como o colégio ensina diferentes crenças às crianças. De acordo com Ribeiro, o mais importante é que se valorize o respeito.

   – Se alguma escola católica age com preconceito em relação a algum aluno de outra religião, está indo contra seus próprios princípios; não está sendo cristã – diz Ribeiro, que afirma que se deve buscar um meio-termo e fugir de extremismos.

Por Dan Martins, para o Gospel+

Matéria disponível em GOSPEL MAIS

Inflação é maior para dono de carro do que para passageiro de ônibus

UOL ECONOMIA

     A inflação nos últimos meses tem pesado mais no bolso de quem tem carro do que no de quem anda de transporte público, conforme indicam dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

     Se por um lado ficou mais fácil comprar um automóvel (o preço do veículo zero caiu 4% em um ano, enquanto o do usado recuou 10%), por outro ficou mais difícil mantê-lo, e não apenas por causa do recente aumento da gasolina anunciado pela Petrobras.

    O preço do estacionamento, por exemplo, subiu 10% nos últimos 12 meses, e o do seguro, 6%. Já as passagens de ônibus urbano e de metrô aumentaram 3% cada.

Matéria completa disponível em UOL ECONOMIA

Após tragédia em Santa Maria, igrejas de São Paulo serão fiscalizadas

Fonte: FOLHA GOSPEL

     A classificação usada pela prefeitura para determinar quais estabelecimentos serão vistoriados engloba locais com lotação igual ou superior a 250 pessoas, como casas noturnas, teatros e igrejas.

     Depois do incêndio que matou mais de 200 jovens em Santa Maria (RS), a prefeitura de São Paulo iniciou um trabalho intenso de fiscalização em espaços considerados “locais de reunião” na área das subprefeituras da Sé, Pinheiros, Vila Mariana e Santo Amaro. O trabalho da prefeitura já resultou no fechamento de pelo menos duas igrejas na região.

     De acordo com o Estadão, a ação é baseada na legislação que determina que possuir Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) é obrigatório para qualquer estabelecimento abrir as portas. Sem o documento, não é possível obter o alvará de funcionamento, dado pela Prefeitura.

     De acordo com o Corpo de Bombeiros, dos 26 estabelecimentos vistoriados 24 deles não possuem nem mesmo o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), documento básico para solicitar o alvará de funcionamento. Entre estes estão incluídas duas igrejas.

    A lista apresentou dois templos religiosos, uma igreja localizada na rua Araritaquaba, número 01, que não teve o nome divulgado, e a Igreja Evangélica Vida Nova Projeto Salvação, localizada na Rua Dr João Inácio Teixeira, 78. Além das igrejas foram notificadas várias danceterias, boates e casas de shows, por também não apresentarem condições mínimas de funcionamento.

     Os endereços foram vistoriados pela corporação na operação Prevenção Máxima, anunciada pelo governo estadual para averiguar as condições de segurança dos chamados locais de reunião na capital.

Fonte: Gospel+

Matéria disponível em: Folha Gospel

Classificação de Países por Perseguição 2013

     Fonte: FOLHA GOSPEL

Há anos, a Portas Abertas encontrou uma maneira prática e eficaz de distinguir situações e delinear prioridades para ações e projetos: a Classificação de Países por Perseguição; um levantamento fundamental para determinar onde a necessidade de cristãos é mais urgente.

Como funciona? O ranking dos 50 países considera os graus de perseguição (concentrada, moderada, severa, extrema e ilimitada) e divide o contexto da perseguição em diferentes áreas: vida privada, familiar, em comunidade, nacional e com a igreja. Além de casos de violência física e outras informações que contribuem para classificar os países e determinar onde é mais difícil ser cristão.

Por meio de um questionário elaborado pelo departamento de pesquisa da Portas Abertas Internacional, todas essas respostas são coletadas em campo e processadas por níveis, gerando a lista que você poderá conferir na página dedicada a esse tema e que, claro, não poderia deixar de ser nomeada: Classificação de Países por Perseguição (WWL).

Em 2013, os cinco países onde os cristãos não têm praticamente nenhum espaço são:

1. Coreia do Norte
2. Arábia Saudita
3. Afeganistão
4. Iraque
5. Somália

Além dessas, outras 45 nações devem entrar na sua lista de oração. Regimes extremistas, sejam eles da orientação política que for, em geral, são contra o cristianismo e a pregação do evangelho. Você sabe por quê? Porque ao seguirem Jesus, os cristãos conhecem a verdade que liberta! Ore pelos servos do Senhor que aceitam o desafio de se deixarem gastar pela obra e pelo crescimento da Igreja em seus países.

Para ilustrar tudo isso, preparamos um material completo a ser divulgado ao longo das próximas semanas. Você terá acesso a um mapa para download, vídeo explicativo, infográficos, atualização dos perfis de países e pedidos de oração.

Enquanto trabalhamos nessas publicações, junte-se a nós em oração: dedique um tempo de estudo sobre a lista que já divulgamos e desafie-se a interceder por cada um dos 50 países citados, para que os cristãos perseverem na fé em Cristo e para que, através de seus testemunhos, outras vidas sejam alcançadas. Somos UM COM ELES!

*WWL: World Watch List – Lista de Monitoramento Mundial

CONFIRA A NOVA CLASSIFICAÇÃO DE PAÍSES POR PERSEGUIÇÃO 2013!

Com base em experiências de campo, anualmente, a Portas Abertas publica uma lista com os 50 países mais opressores ao cristianismo. Há três principais objetivos para esse levantamento: fazer dessa classificação um instrumento mais preciso de medição da extensão da perseguição aos cristãos hoje; determinar onde a necessidade é mais urgente e; assim, planejar melhor projetos e ações.

Perseguição é “toda e qualquer hostilidade vivenciada em qualquer lugar do mundo, como resultado da identificação de uma pessoa com Cristo. Isso inclui atitudes, palavras ou ações hostis contra os cristãos, partindo de fora do cristianismo ou em meio a ele”. Ron Boyd-MacMillan

Em comparação ao ano anterior, a Classificação de Países por Perseguição, originalmente chamada de World Watch List – WWL, chegou em 2013 com alterações significativas e destaques bastante curiosos; a começar pela maneira com que a listagem foi feita.

A explicação é bastante simples: até 2012, o questionário elaborado pela Portas Abertas, que considerava as áreas onde a perseguição religiosa era mais latente, era composto por perguntas genéricas, rápidas, e não muito aprofundadas. Para a classificação desse ano, o questionário apresentado aos cristãos em campo foi reestruturado e alguns fatores e detalhes foram postos na balança. O relatório passou a considerar dois aspectos da perseguição religiosa: o contexto da perseguição e as diferenças de perseguição de acordo com as comunidades hostilizadas.

Por esse motivo, esse ano surgiram importantes mudanças nas dez primeiras posições, com novos países que passam a integrar o quadro dos 50 mais intolerantes à fé cristã. Ao comparar a classificação de 2013 com a de 2012, atente-se aos seguintes destaques:

Países novos entraram na lista: Mali (7ª), Tanzânia (25ª), Quênia (40ª), Uganda (47ª) e o Níger (50ª).

Como já citado, o Mali, na África, que não apareceu em classificações anteriores, já chega ocupando a 7ª colocação. Isso se deu porque, após um golpe militar de Estado em março de 2012, o país vive hoje um momento de tensões e mudanças políticas, o que reflete diretamente na perseguição à Igreja. O norte foi dominado por milícias islâmicas e, portanto, todas as igrejas dessa região foram destruídas e milhares de cristãos tiveram que fugir para o sul ou para países vizinhos.

Há onze anos consecutivos, a Coreia do Norte figura em primeiro lugar no ranking.

O Iraque está agora no TOP 5 da lista. Pulou da 9ª para a 4ª posição no quadro geral. Desde 2003, quando a invasão liderada pelos EUA derrubou o regime de Saddam Hussein, os cristãos tem sido alvo constante de grupos radicais islâmicos que atuam no país.
A Síria subiu 25 posições, a Etiópia 23 e a Líbia 9, o que significa que a perseguição nesses países se intensificou.

A Nigéria se manteve no 13º lugar, mas a perseguição que antes era considerada somente no norte do país, agora se expandiu para todo o território.

A China desceu do 21º lugar para o 37º e o Egito do 15º para o 25º. Entenda, porém, que essas alterações nas posições não significam, necessariamente, uma melhora na perseguição religiosa na China e no Egito, especificamente. O que acontece é que, devido à mudança na forma de classificação dos países, em alguns lugares a perseguição religiosa é maior do que nessas nações, o que fez com que muitos países descessem no ranking sem que a hostilidade aos cristãos tenha diminuído de fato.

O esclarecimento acima pode aclarar também porque alguns países deixaram o ranking, mas não devem sair da sua lista de orações, já que a perseguição não acabou. São eles: Cuba, Bangladesh, Chechênia, Turquia e Belarus. É, novamente, a nova maneira de aferir a perseguição que provocou tal movimento na tabela. Relatos do campo informam que, sim, em determinados países, como a China, há sinais de melhora, mas, mesmo assim, as pressões contra minorias religiosas permanecem.

A boa notícia é que a perseguição tende a estar relacionada com o crescimento e o testemunho, e normalmente refina e fortalece a fé dos cristãos, não o oposto. Por isso, em geral, o aumento das pressões contra o cristianismo mostra que a Igreja está crescendo.

Matéria completa disponível em: http://folhagospel.com/modules/news/article.php?storyid=24282

SBB distribui Bíblias e promove corrente de orações em Santa Maria

       Extraído de: FOLHA GOSPEL NEWS

     A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), em ação solidária aos afetados pela tragédia de Santa Maria (RS), está distribuindo material bíblico e fazendo corrente de orações para levar consolo e esperança aos que perderam entes queridos no incêndio.

     A distribuição de literatura bíblica em Santa Maria está inserida no programa Fortalecer da SBB, e almeja através disso oferecer assistência espiritual e social. A entidade também lançou um apelo aos cristãos de todo o Brasil para que se envolvam na ação, por meio de orações e enviando mensagens escritas.

     “Estamos distribuindo Bíblias, livretos e folhetos aos enlutados, para que encontrem consolo na Palavra de Deus. Em meio a uma tragédia que comove toda uma nação, é importante que se estabeleça uma corrente de orações, para que essas pessoas sejam sensíveis à mensagem de esperança do Evangelho”, relata Erní Seibert, secretário de Comunicação e Ação Social da SBB, em um comunicado compartilhado com o The Christian Post.

     A distribuição do material bíblico está sendo realizada através de uma equipe enviada pela SBB e em conjunto com as igrejas cristãs da cidade.

    Além de Bíblias, voluntários estão entregando também materiais de literatura bíblica como “Deus está presente”, “Deus é o nosso refúgio” e “Nada pode nos separar do amor de Deus”. Os voluntários estão visitando os hospitais de Santa Maria e região, que estão atendendo os sobreviventes do incêndio.

    “Em situações desesperadoras como este incêndio que ceifou tantas vidas, esta ação é fundamental, porque a Bíblia traz uma palavra de esperança, que conforta e fortalece”, ressaltou Seibert.

     A SBB planeja reunir líderes voluntários para tratar sobre o tema “Amparo de Deus no Luto”, tendo como base o conteúdo do livreto “Deus está presente”. O evento será no dia 7 de fevereiro, das 9h às 12h, na Igreja Batista Betel, localizada na av. Borges de Medeiros, no Bairro Salgado Filho.

    O programa Fortalecer da SBB tem o objetivo de oferecer assistência espiritual e social a segmentos da população em situação de vulnerabilidade social, inclusive as vitimadas por calamidades. Parcerias com organizações governamentais e não governamentais implementam as ações e possibilitam a distribuição de materiais bíblicos a essa população.

     O incêndio na boate Kiss em Santa Maria, Rio Grande do Sul, deixou mais de 230 mortos e é considerado a segunda maior tragédia da história do Brasil.

     Fonte: The Christian Post

Matéria disponível em: http://folhagospel.com/modules/news/article.php?storyid=24438