Paternidade faz os homens engordarem, aponta pesquisa

FOLHA GOSPEL

Se é na gravidez que muitas mulheres engordam, com os homens o ganho de peso vem depois que o bebê nasce.

Segundo uma pesquisa da Universidade de Northwestern, nos Estados Unidos, ser pai engorda. O estudo foi publicado recentemente no Jornal Americano de Saúde Masculina.

O estudo acompanhou por 20 anos o peso de 10 mil homens, da adolescência até a fase adulta, e concluiu que os homens engordam mais quando se tornam pais, comparado aos homens sem filhos.

Imagem redimensionadaO peso destes homens foi medido em quatro momentos diferentes da vida deles: no início da adolescência, depois da adolescência, meados dos 20 anos e início dos 30, assim como o IMC (índice de massa corporal).

Os homens foram classificados como: pai, não-pai, pai que mora com o filho e pai que não mora com o filho.

Na média padrão do estudo, um homem de 1,83 m, que vive com o filho, ganhou, em média, dois quilos depois de se tornar pai. Já o homem com a mesma altura, mas que não vive com o filho, engordou, em média, 1,5 quilo depois de ter se tornado pai.

Em termos de IMC (índice de massa corporal), o estudo apontou um aumento de 2,6% no IMC de homens que vivem com os filhos ante um aumento de 2% do IMC entre os homens que não vivem com suas crias.

Já os homens com o mesmo padrão de altura e sem filhos perderam 650 gramas no mesmo período.

Este é um dos primeiros estudos a analisar a forma como a paternidade afeta o IMC, um importante marcador biológico da saúde, que classifica se estamos no peso considerado ideal, acima dele ou obesos.

Além do IMC, outros fatores foram levados em conta: idade, raça, escolaridade, renda, atividade diária e estado civil.

Estudos anteriores já relacionaram o casamento ao ganho de peso em homens, mas na paternidade ele se mostrou mais marcante.

Matéria completa disponível em Folha Gospel

Homens casados têm ossos mais fortes que solteiros, diz estudo

TERRA

   Casamento já foi relacionado a um risco reduzido de doenças cardíacas e de maiores taxas de sobrevivência ao câncer. Agora, uma pesquisa da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, constatou que homens casados ou em relacionamentos estáveis de longo prazo, que não se separaram anteriormente, têm ossos mais fortes que solteiros e divorciados. Já para as mulheres, o que ajuda na saúde óssea é a qualidade do relacionamento. Os dados são do jornal Daily Mail.

    Os cientistas usaram dados de participantes que tinham entre 25 e 75 anos em 1995/1996, sendo que todos foram entrevistados novamente em 2004/2005. Exame de densidade óssea e fatores que influenciam a saúde dos ossos, como medicamentos, menopausa e comportamentos de saúde, foram levados em conta. A ligação entre o casamento e a força dos ossos foi evidente na coluna vertebral, mas não no quadril, possivelmente devido a diferenças na composição óssea.

    Constatou-se que homens que se casaram antes dos 25 anos não têm o mesmo benefício, pelo contrário, apresentam ossos mais fracos. “Casamento muito cedo é prejudicial aos homens provavelmente por causa das tensões de ter que sustentar uma família”, disse o co-autor Arun Karlamangla. Isso porque, por serem mais jovens, tendem a ter menos dinheiro e, portanto, mais dificuldade para cumprir as despesas.

    No caso das mulheres, as com parceiros que as apoiam apresentaram ossos mais resistentes do que as que vivem com homens que não as tratam bem. “As descobertas implicam que não devemos assumir que o casamento tem os mesmos benefícios de saúde para homens e mulheres. Especificamente, nunca se casar, passar por um divórcio, viuvez ou separação está relacionado com a má saúde óssea em homens, enquanto má qualidade conjugal está associada à baixa saúde óssea em mulheres”, acrescentaram os autores.

Matéria disponível em Terra

PSC entra com recurso para sustar a decisão do CNJ sobre o casamento gay

GOSPEL PRIME

    O Partido Social Cristão (PSC) entrou nesta terça-feira (21) com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender a decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que obriga os cartórios de todo o Brasil a celebrar a união entre pessoas do mesmo sexo.

     O casamento gay foi aprovado por unanimidade na última semana durante uma sessão do CNJ e causa polêmica por não ter sido debatido no Congresso.

     Ao entrar com o mandado de segurança, o partido diz que a decisão não tem validade por não ter passado pelo processo dentro do Poder Legislativo. “O CNJ não tem legitimidade para normatizar o tratamento legal das uniões estáveis constituídas por pessoas de mesmo sexo, sem a existência de legislação”, diz trecho do recurso.

     O PSC chegou a dizer no documento que o ministro Joaquim Barbosa, presidente do CNJ e do STF, agiu com “abuso de poder” para impedir que o tema passasse pelos parlamentares.

     No documento do PSC entregue ao STF, o partido se posiciona como cristão e diz que “é totalmente contrário à união entre pessoas do mesmo sexo e sempre se posicionará neste sentido no Congresso”.

     Na semana passada o senador Magno Malta (PR-ES) também criticou a decisão do CNJ dizendo que ela é inconstitucional, por não caber ao conselho criar leis, mais interpretá-las e aplicá-las. O parlamentar também ficou responsável por entrar com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN)  no Supremo para sustar esta decisão.

Matéria disponível em Gospel Prime

O que está faltando em seu casamento? – como recuperar aquilo que pode trazer alegria novamente em sua casa

Estudos Gospel Mais

     O que está faltando em seu casamento? – como recuperar aquilo que pode trazer alegria novamente em sua casa

   Texto – Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar?

     E achando-a, convoca as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida.
Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende. (Lucas 15:8-10)

    Introdução: Seu casamento pode não ter algo de incorreto, mas pode haver algo de incompleto. Nem sempre são as falhas que levam a uma crise conjugal, as faltas também podem produzir o mesmo efeito. Pense no que o tempo ou as circunstâncias levaram da sua relação.

     Talvez em seu relacionamento não seja necessário adicionar nada de novo, apenas que se resgate o velho e dê a ele um novo valor e sentido.
O texto acima servirá de plataforma para as reflexões a seguir. Então, vamos para a seção de achados e perdidos de Lucas e descobrir o que podemos aprender com as perdas, bem como reencontrar aquilo que por uma razão ou outra se perdeu.

1. Jamais perca a capacidade de perceber as perdas – mantenha um coração sensível aquilo que está se perdendo na relação. Cuidado com a indiferença e a insensibilidade as perdas. A mulher no texto, ao perceber a perda se colocou de pronto a procurar.

2. Não tente encontrar fora de casa o que você perdeu dentro dela – não tente procurar fora, não porque você não vá encontrar, mas porque você com certeza vai encontrar! Se perdeu o diálogo, o carinho, o sexo etc. Tudo isso pode ser encontrado do lado de fora, porém ao encontrar o que se perdeu do lado de fora, você acabará perdendo tudo o que sobrou dentro de casa, além da própria casa!

3. Não deixe que o que você tem o distraia daquilo que lhe falta e nem que aquilo que lhe falta o cegue para aquilo que ainda você tem – perder pouco não é razão para a acomodação e perder muito não é motivo para desespero! Cuidado que pequenas perdas podem ser um prefácio para perdas maiores.

4. Encontrar o que se perdeu não depende somente de um grande esforço, mas dos meios adequados – não basta levantar poeira, porque isso pode causar uma confusão maior ainda! A mulher usou a vassoura e a lâmpada e você pode usar o apoio dos irmãos, a oração, o perdão e a Palavra!

5.Cuidado para que na tentativa de recuperar o que se perdeu você não acabe perdendo o que ainda sobrou – limpeza sem iluminação gera cansaço e confusão!

6. Pequenas perdas não devem ser confundidas com perdas menores – o pequeno nem sempre é insignificante!

7. Deus pode permitir pequenas perdas para que maiores não ocorram e também para que alcancemos ganhos maiores – uma perda temporária pode nos assegurar uma posse definitiva. Na recuperação do que se perdeu você alcançar ganhos que nunca imaginou.

8. Faça dos pequenos achados um motivo para uma grande festa – celebre a recuperação das pequenas coisas com grande entusiasmo!

     Para pensar – “A alegria do reencontro superará a dor da perda e o esforço da busca!”

Por Anderson Zem

Estudo disponível em GOSPEL MAIS

RESPEITO – Uma das chaves para um casamento de sucesso

 FOLHA GOSPEL

Respeite os pais e a família de origem do cônjuge. Em todas as palestras que dou eu repito esta frase: A sua qualidade de vida conjugal e a duração do seu casamento pode ser determinada pela forma como você trata os pais e a família do seu cônjuge. Em cada família existe alguma pessoa difícil com a qual aprende-se a conviver, porém, nada justifica quando ele ou ela trata a família de origem do outro com falta de respeito e dignidade. Casais inteligentes sabem respeitar a família do outro.

Saber se relacionar com os sogros e com os cunhados pode resultar em muitos benefícios para o relacionamento conjugal. O casal Abrahão e Bertha Grinberg no livro Sogras de Noras Aprendendo a Conviver dá algumas sugestões que podem auxiliar as noras a conviver de forma harmoniosa com a sogra:

a) Seja política, diplomática e tolerante.

b) Respeite, seja realista e não interfira.

c) Acate o direito da outra à privacidade.

d) Evite críticas, ofensas pessoais e interferências.

e) Conselhos, só quando solicitados. Não faça comentários sobre a casa da outra. Cada um tem seu estilo.

f) Seja cordial. Evite discussões. Use a discrição e resolva os problemas com sabedoria.

g) Presenteie a sogra/nora, quando puder. Uma pequena lembrança encanta e, muitas vezes custa pouco. Cuidado com a hipocrisia.

h) Evite competição ente ambas. Só rivaliza quem se sente inferior e inseguro.

i) Mostre com palavras, e principalmente com atos seus interesses pela sogra/nora.

j) Não queira se fazer de superior. Quem assim procede está escondendo um sentimento de inferioridade. Evite o ócio. Mantenha-se ocupada. Pessoa ocupada não tem tempo para coisas mesquinhas.

k) Não interfira na educação dos netos, a não ser quando a nora lhe solicitar ajuda e orientação. Mesmo assim cuidado.

l) Respeite seus sogros. Eles são os pais de seu marido.

m) O convívio com a sogra é facilitado quando o amor ao marido é verdadeiro e profundo.

n) Não sejam competidoras. Prefiram ser cooperadoras. Tudo neste relacionamento é uma questão de limites. Quando observados trazem equilíbrio e saúde emocional para todos. Quando quebrados, instala-se o caos.

  Pr. Josué Gonçalves

Leia mais na Folha Gospel