Coreano de 26 anos que ‘não envelhece’ intriga a ciência

Ele tem 26 anos, mas sua aparência é de um pré-adolescente de no máximo 10. Hyomyung Shin ganhou fama na Coreia do Sul após aparecer em um programa de tevê local e, agora, vídeos seus no Youtube se tornaram virais no mundo todo.

Nascido em 5 de janeiro de 1989, Hyomyung conta que percebeu que havia parado de envelhecer somente aos 18 anos.

“Uma vez fui a um reencontro de colegas da escola e todos meus amigos já estavam crescidos. Eu era a exceção”, diz em entrevista à BBC Brasil.

Os médicos que cuidam do coreano garantem que ele é saudável. Ele, no entanto, nunca passou por um exame mais completo para saber as causas do lento envelhecimento.

Imagem redimensionadaCom 1,63 m e jeito de quem não passou pela puberdade, Hyomyung diz levar uma vida normal, inclusive no trabalho, em um escritório de consultoria técnica – onde diz nunca ter tido problemas para ser respeitado.

Matéria completa disponível em Folha Gospel

Anúncios

Médicos implantam mão de paciente na perna por 1 mês

TERRA

   Em um hospital de Changde, os médicos se disseram incapazes de reimplantar a mão e o encaminharam a um hospital maior, em Changsha.

  Os cirurgiões afirmaram que poderiam fazer a cirurgia, mas não no momento devido aos ferimentos do chinês. Eles então implantaram a mão na perna do paciente para que ela não morresse.

    “Seus ferimentos eram graves. Nós claramente tínhamos que tratar os ferimentos antes de fazer a cirurgia”, diz um dos médicos ao jornal.

    Um mês depois, Wei tinha se recuperado o suficiente para passar pela cirurgia. Apesar do sucesso do reimplante, ele ainda precisará de outras cirurgias. Os médicos, contudo, estão confiantes de que ele se recuperará plenamente.

Matéria disponível em: Terra

O que diz a teoria da evolução?

JORNAL SEMEANDO A PALAVRA

Charles Darwin e também Alfred Wallace, ambos britânicos do século XIX, chegaram a uma teoria muito parecida após realizarem seus estudos observando espécies de animais e vegetais.

Darwin publicou suas ideias em um livro denominado “A origem das espécies” e sua teoria foi sendo cada vez mais estudada com o passar dos anos. Atualmente, ela é amplamente aceita no meio científico. A teoria da evolução, ou darwinismo, fala sobre o surgimento das espécies e, em nenhum momento, discute a respeito da origem do universo. Uma espécie biológica é definida como sendo formada pelos organismos que podem se acasalar e deixar uma nova geração fértil, capaz de gerar novos descendentes. Para Darwin, uma espécie pode dar origem a uma espécie após centenas de anos. Isto aconteceria porque existe uma variação nas características observadas nos indivíduos. Por exemplo, na espécie humana, vemos que as pessoas possuem diferentes características como cor da pele, altura… Darwin afirmou que, sob determinadas circunstâncias, algumas características poderiam favorecer um grupo de indivíduos e, assim, esses estariam mais aptos a sobreviverem e a procriarem.

Vamos criar um exemplo muito simples para esclarecer como isso aconteceria: um grupo de animais vive em uma floresta e se alimenta de algumas plantas de fácil mastigação que vamos chamá-las de plantas “moles”. Neste mesmo grupo, alguns animais, devido às diferenças genéticas, são capazes de ingerir e se alimentar de plantas mais resistentes e de difícil digestão, as chamadas plantas “duras”. Se nesta floresta, por algum motivo, as plantas “moles” não forem mais encontradas, apenas os animais que puderem comer as plantas “duras” sobreviverão. Com o passar do tempo e das gerações, uma nova população, apresentando esta característica, seria dominante naquele local e, devido ao isolamento desse grupo e às alterações genéticas, uma nova espécie diferente da original surgiria neste ambiente. Isto é: esta nova espécie teria evoluído da espécie original. Assim, para Darwin, as espécies viventes são, de alguma forma, aparentadas entre si. No caso da espécie humana, por exemplo, os macacos seriam nossos parentes mais próximos (o homem e os macacos teriam se originado de um mesmo organismo vivente há milhares de anos).

Mas, por que essa teoria foi aceita pelos cientistas? Os fósseis são considerados a prova mais objetiva de que muitas espécies existentes no passado, hoje, já não existem mais. Entretanto, considerando as análises realizadas nesses fósseis, muitos organismos vivos teriam se originado dessas espécies do passado. Um exemplo muito conhecido são os dinossauros, que teriam dado origem aos répteis atuais. Além disso, as espécies que hoje existem possuem muitas semelhanças durante o desenvolvimento embrionário, na sua estrutura, no funcionamento de seus organismos, o que seria indicativo de um parentesco comum, como afirmava Darwin.

Continuar lendo