Brasil tem 166 milhões de cristãos

MSN
   Pouco mais de 85% da população brasileira se declara cristã: são 166 milhões de pessoas que se declaram católicas ou evangélicas.Os dois principais grupos cristãos presentes no Brasil são os católicos e os evangélicos que hoje vivem momentos bem diferentes.
   Enquanto a parcela católica da população tem diminuido constantemente, as igrejas evangélicas ocupam os espaços deixados.
   Em 1940, 95,2% dos brasileiros se declaravam católicos. Em 2010, no último levantamento feito pelo IBGE, este número caiu para cerca de 65%. O movimento contrário aconteceu com a população evangélica que saltou de 2,6%, em 1940, para 22% em 2010. São 166 milhões de brasileiros que se dividem entre católicos e cristãos.

Matéria disponível em MSN

Congresso Nacional deverá votar diversos projetos contrários a princípios cristãos

FOLHA GOSPEL

   O Senado Federal tem essa semana em sua pauta de votação quatro projetos que suscitam preocupação entre líderes cristãos e que interferem diretamente no estilo de vida apregoado pelos cristãos. Os projetos PLC 103/2012, PLC 122/2006, PLS 236/2012 e PLC 72/2007 tratam de questões que interferem diretamente no estilo de vida apregoado pelos cristãos e são vistos como nocivos às tradições familiares, liberdades de expressão e crença, e de opinião.

O PLC 103/2012 refere-se ao Plano Nacional de Educação (PNE) e possui itens que tratam da orientação sexual e gênero. Caso seu texto seja aprovado como está proposto, a legislação abriria uma brecha para que educadores de todo o país estimulem as crianças ao conhecimento sexual ainda na infância.

O PLC 122/2006 é o polêmico projeto que, segundo ativistas gays, trata do combate à homofobia. Na visão dos líderes cristãos e parlamentares das bancadas evangélica e católica, o projeto é uma “mordaça gay”, pois interfere no direito ao livre pensamento e à liberdade de expressão, além de ser visto como inconstitucional por muitos justamente por estabelecer privilégios a cidadãos homossexuais.

O pastor Marco Feliciano (PSC-SP), deputado federal, usou seu Twitter para alertar sobre os riscos deste projeto: “O PL 122, se aprovado, corre o risco da pedofilia ser naturalizada como variante da orientação sexual e gênero, criminalizando os contrários [a essa prática]”.

PLS 236/2012 trata da reforma do Código Penal, e possui itens que criminalizam pessoas que sejam contra a “livre orientação sexual e à igualdade gênero” e circunstâncias variáveis relacionadas a essa questão. A pregação cristã contra a homossexualidade, prostituição, adultério e poligamia poderia ser classificada como criminosa, caso o texto seja aprovado como está.

O PLC 72/2007 prevê que um transexual mude o nome de batismo em sua Certidão de Nascimento para incluir o nome que deseja adotar depois da cirurgia de mudança de sexo. O projeto é de autoria de Luciano Zica, um ex-deputado federal pelo Partido dos Trabalhadores (PT), e tem o apoio de boa parte dos parlamentares da base de sustentação do governo da presidente Dilma Rousseff (PT).

Já na Câmara dos Deputados, o projeto apelidado de “Lei da Palmada” deverá ser discutido e votado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) esta semana. A lei prevê que castigos físicos impostos pelos pais aos filhos sejam considerados criminosos.

O pastor Marco Feliciano pediu aos fiéis que orem e se manifestem contra os projetos: “Divulgue nas redes sociais, escreva e telefone para os senadores da República, pedindo que estejam atentos […] Preferi alertar agora porque creio na oração da madrugada: ‘Eu amo aos que me amam, e os que de madrugada me buscarem, me acharão’. PV 8:17”.

Fonte: Gospel+

Matéria disponível em Folha Gospel

Portas Abertas receberá prêmio máximo das Emissoras Religiosas Nacionais

Folha Gospel

A Associação das Emissoras Religiosas Nacionais (NRB, sigla em inglês) anunciou que a Portas Abertas receberá o Prêmio Milestone durante a Convenção NRB no início de março

O Prêmio Milestone é concedido anualmente para as organizações que somam mais de 50 anos de ministério contínuo em evangelismo cristão e radiodifusão. Em 2013, a Portas Abertas completa 58 anos servindo cristãos perseguidos em países restritos ao redor do mundo. Dez ministérios receberão o prêmio durante a 70º Convenção Anual da NRB, de 2 a 5 de março, em Nashville (EUA).

As Emissoras Religiosas Nacionais (NRB) são uma associação internacional de comunicadores cristãos cujos membros representam milhões de ouvintes, telespectadores e leitores de veículos midiáticos como televisão, rádio, Internet e demais publicações. A missão da NRB é zelar pela divulgação da verdade bíblica, promover excelência de mídia, e defender a liberdade de expressão, de modo que o evangelho de Cristo possa ser livremente proclamado nos Estados Unidos e ao redor do mundo.

“É uma honra para a Portas Abertas receber o Prêmio Milestone”, confirmou o CEO CEO (Chief executive officer – Diretor executivo, tradução livre) da Portas Abertas Internacional, Jeff Taylor. “Eu gostaria de agradecer às Emissoras Religiosas Nacionais pelo reconhecimento da Portas Abertas e de outros ministérios que, por cinco décadas ou mais, dedicaram-se a um serviço fiel”.

“O Senhor tem abençoado a Portas Abertas desde que o nosso fundador, Irmão André, entregou as primeiras Bíblias nos países por detrás da Cortina de Ferro, em 1955. Hoje, a Portas Abertas continua a sustentar e fortalecer os cristãos que vivem em países hostis, para que estes possam contribuir com o crescimento do evangelho. Agradeço ao Senhor por todos aqueles que têm apoiado e orado por nossos irmãos e irmãs perseguidos ao longo dos anos”, completou Taylor.

Por quase 60 anos a Portas Abertas tem trabalhado nos países mais opressivos e restritos do mundo, fortalecendo cristãos em face à perseguição; equipando-os para brilharem a luz de Cristo nesses lugares. A Portas Abertas capacita cristãos perseguidos através do fornecimento de Bíblias e literatura cristã, treinando líderes cristãos, facilitando projetos sociais e econômicos; e unindo os crentes no Ocidente em oração pelos demais cristãos.

Fonte: Missão Portas Abertas

Matéria completa disponível em FOLHA GOSPEL

Classificação de Países por Perseguição 2013

     Fonte: FOLHA GOSPEL

Há anos, a Portas Abertas encontrou uma maneira prática e eficaz de distinguir situações e delinear prioridades para ações e projetos: a Classificação de Países por Perseguição; um levantamento fundamental para determinar onde a necessidade de cristãos é mais urgente.

Como funciona? O ranking dos 50 países considera os graus de perseguição (concentrada, moderada, severa, extrema e ilimitada) e divide o contexto da perseguição em diferentes áreas: vida privada, familiar, em comunidade, nacional e com a igreja. Além de casos de violência física e outras informações que contribuem para classificar os países e determinar onde é mais difícil ser cristão.

Por meio de um questionário elaborado pelo departamento de pesquisa da Portas Abertas Internacional, todas essas respostas são coletadas em campo e processadas por níveis, gerando a lista que você poderá conferir na página dedicada a esse tema e que, claro, não poderia deixar de ser nomeada: Classificação de Países por Perseguição (WWL).

Em 2013, os cinco países onde os cristãos não têm praticamente nenhum espaço são:

1. Coreia do Norte
2. Arábia Saudita
3. Afeganistão
4. Iraque
5. Somália

Além dessas, outras 45 nações devem entrar na sua lista de oração. Regimes extremistas, sejam eles da orientação política que for, em geral, são contra o cristianismo e a pregação do evangelho. Você sabe por quê? Porque ao seguirem Jesus, os cristãos conhecem a verdade que liberta! Ore pelos servos do Senhor que aceitam o desafio de se deixarem gastar pela obra e pelo crescimento da Igreja em seus países.

Para ilustrar tudo isso, preparamos um material completo a ser divulgado ao longo das próximas semanas. Você terá acesso a um mapa para download, vídeo explicativo, infográficos, atualização dos perfis de países e pedidos de oração.

Enquanto trabalhamos nessas publicações, junte-se a nós em oração: dedique um tempo de estudo sobre a lista que já divulgamos e desafie-se a interceder por cada um dos 50 países citados, para que os cristãos perseverem na fé em Cristo e para que, através de seus testemunhos, outras vidas sejam alcançadas. Somos UM COM ELES!

*WWL: World Watch List – Lista de Monitoramento Mundial

CONFIRA A NOVA CLASSIFICAÇÃO DE PAÍSES POR PERSEGUIÇÃO 2013!

Com base em experiências de campo, anualmente, a Portas Abertas publica uma lista com os 50 países mais opressores ao cristianismo. Há três principais objetivos para esse levantamento: fazer dessa classificação um instrumento mais preciso de medição da extensão da perseguição aos cristãos hoje; determinar onde a necessidade é mais urgente e; assim, planejar melhor projetos e ações.

Perseguição é “toda e qualquer hostilidade vivenciada em qualquer lugar do mundo, como resultado da identificação de uma pessoa com Cristo. Isso inclui atitudes, palavras ou ações hostis contra os cristãos, partindo de fora do cristianismo ou em meio a ele”. Ron Boyd-MacMillan

Em comparação ao ano anterior, a Classificação de Países por Perseguição, originalmente chamada de World Watch List – WWL, chegou em 2013 com alterações significativas e destaques bastante curiosos; a começar pela maneira com que a listagem foi feita.

A explicação é bastante simples: até 2012, o questionário elaborado pela Portas Abertas, que considerava as áreas onde a perseguição religiosa era mais latente, era composto por perguntas genéricas, rápidas, e não muito aprofundadas. Para a classificação desse ano, o questionário apresentado aos cristãos em campo foi reestruturado e alguns fatores e detalhes foram postos na balança. O relatório passou a considerar dois aspectos da perseguição religiosa: o contexto da perseguição e as diferenças de perseguição de acordo com as comunidades hostilizadas.

Por esse motivo, esse ano surgiram importantes mudanças nas dez primeiras posições, com novos países que passam a integrar o quadro dos 50 mais intolerantes à fé cristã. Ao comparar a classificação de 2013 com a de 2012, atente-se aos seguintes destaques:

Países novos entraram na lista: Mali (7ª), Tanzânia (25ª), Quênia (40ª), Uganda (47ª) e o Níger (50ª).

Como já citado, o Mali, na África, que não apareceu em classificações anteriores, já chega ocupando a 7ª colocação. Isso se deu porque, após um golpe militar de Estado em março de 2012, o país vive hoje um momento de tensões e mudanças políticas, o que reflete diretamente na perseguição à Igreja. O norte foi dominado por milícias islâmicas e, portanto, todas as igrejas dessa região foram destruídas e milhares de cristãos tiveram que fugir para o sul ou para países vizinhos.

Há onze anos consecutivos, a Coreia do Norte figura em primeiro lugar no ranking.

O Iraque está agora no TOP 5 da lista. Pulou da 9ª para a 4ª posição no quadro geral. Desde 2003, quando a invasão liderada pelos EUA derrubou o regime de Saddam Hussein, os cristãos tem sido alvo constante de grupos radicais islâmicos que atuam no país.
A Síria subiu 25 posições, a Etiópia 23 e a Líbia 9, o que significa que a perseguição nesses países se intensificou.

A Nigéria se manteve no 13º lugar, mas a perseguição que antes era considerada somente no norte do país, agora se expandiu para todo o território.

A China desceu do 21º lugar para o 37º e o Egito do 15º para o 25º. Entenda, porém, que essas alterações nas posições não significam, necessariamente, uma melhora na perseguição religiosa na China e no Egito, especificamente. O que acontece é que, devido à mudança na forma de classificação dos países, em alguns lugares a perseguição religiosa é maior do que nessas nações, o que fez com que muitos países descessem no ranking sem que a hostilidade aos cristãos tenha diminuído de fato.

O esclarecimento acima pode aclarar também porque alguns países deixaram o ranking, mas não devem sair da sua lista de orações, já que a perseguição não acabou. São eles: Cuba, Bangladesh, Chechênia, Turquia e Belarus. É, novamente, a nova maneira de aferir a perseguição que provocou tal movimento na tabela. Relatos do campo informam que, sim, em determinados países, como a China, há sinais de melhora, mas, mesmo assim, as pressões contra minorias religiosas permanecem.

A boa notícia é que a perseguição tende a estar relacionada com o crescimento e o testemunho, e normalmente refina e fortalece a fé dos cristãos, não o oposto. Por isso, em geral, o aumento das pressões contra o cristianismo mostra que a Igreja está crescendo.

Matéria completa disponível em: http://folhagospel.com/modules/news/article.php?storyid=24282