Bancários entram em greve a partir de terça-feira

EXTRA GLOBO

Os bancários decidiram entrar em greve por tempo indeterminado a partir da próxima terça-feira contra a proposta de reajuste de 5,5% apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) na última sexta-feira. Os trabalhadores queriam uma correção de 16%, dos quais 5,7% de aumento real. A paralisação foi aprovada por funcionários de bancos públicos e privados.
http://cdn.krxd.net/userdata/get?pub=5007d44e-09d1-49b7-8c99-6b1cc38c3cbc&technographics=1&callback=Krux.ns.globo.kxjsonp_userdata

Com a apresentação da proposta da Fenaban na sexta-feira passada, o Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), orientou os sindicatos a rejeitar a oferta, por estar muito abaixo da inflação, que acumulou quase 10% até agosto. Assembleias realizadas ontem em sindicatos em todo o país, entre eles o do Rio, decidiram seguir o indicativo de greve da confederação.

Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/economia/bancarios-entram-em-greve-partir-de-terca-feira-17668365.html#ixzz3nh23jR9D

Greve na saúde termina em Ribeirão Preto

G1

   O Sindicato dos Servidores Municipais de Ribeirão Preto (SP) anunciou na tarde desta sexta-feira (14) o fim da greve dos funcionários da Saúde no município. A paralisação, que chegou ao 12º dia nesta sexta, foi suspensa após a categoria aceitar a proposta da Prefeitura de implantação da jornada de 30 horas semanais a partir do dia 1º de julho. O prazo, de acordo com a administração municipal, é necessário para que a Prefeitura saia do limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e possa fazer as contratações necessárias para a adoção da jornada.

   A redução da jornada de trabalho dos servidores de 36 para 30 horas já era prevista em lei municipal e deveria ter entrado em vigor no dia 1º de fevereiro. Diante do descumprimento da medida pela Prefeitura, os profissionais da Saúde cruzaram os braços em 3 de fevereiro.

   De acordo com o presidente do sindicato, Wagner Rodrigues, a aplicação das 30 horas -mesmo que não imediata- é uma vitória para os servidores. “A unidade nesta greve mostrou que o servidor conseguiu o seu objetivo. Até então, a Prefeitura estava relutante e dizia que não podia implantar a jornada. Conseguimos provar que isso é possível, e agora vamos aguardar a contratação dos novos servidores nos próximos meses”, afirma.

   A partir deste sábado (15), agentes de enfermagem, técnicos em enfermagem, auxiliares farmacêuticos, agentes odontológicos e técnicos de higiene dental retomam suas atividades normalmente no município. Os servidores continuarão cumprindo a atual jornada de 36 horas semanais até a implantação da nova carga horária.

Prefeitura
Em nota, a Coordenadoria de Comunicação Social (CCS) informou que a proposta do Governo Municipal estabelece o prazo de 1º de julho para que a Prefeitura consiga sair do limite prudencial da LRF e para que as contratações necessárias diante da redução da jornada possam ser feitas sem maiores complicações.

Matéria extraída em G1

Ribeirão Preto: servidores da saúde em greve

G1

Parte dos servidores municipais da área de saúde entraram em greve nesta segunda-feira (3) em Ribeirão Preto (SP). A paralisação deve-se ao impasse entre a categoria e a Prefeitura, diante da redução da jornada de trabalho de 36 horas para 30 horas semanais. A medida – que entraria em vigor a partir do dia 1º de fevereiro – está prevista em lei municipal aprovada em junho de 2012 e vale para agentes de enfermagem, técnicos em enfermagem, auxiliares de farmacêutico, agentes odontológicos e técnicos de higiene dental.

Matéria completa disponível em: G1

Tribunal determina fim da greve dos motoristas de ônibus de Ribeirão Preto

JORNAL A CIDADE

     O desembargador Henrique Damiano, do TRT (Tribunal Regional do Trabalho), em Campinas, determinou o fim da greve dos motoristas de ônibus de Ribeirão Preto, durante audiência realizada na tarde desta quinta-feira (6).

      Os funcionários reivindicavam junto às empresas a incorporação permanente da gratificação de R$ 270 reais pelo serviço de cobrança de passagem. O consórcio Pró-Urbano manteve a proposta anterior, de garantir o benefício até maio de 2014 e realizar reajuste de 9% no salário base e vale alimentação, além de aumento no bônus pago aos motoristas.

       De acordo com o desembargador, o pedido dos motoristas era uma questão jurídica e deveria ser levada a julgamento pelo TRT. Enquanto isso não ocorrer, ele determinou que 100% da frota circule a partir desta sexta-feira (7), sob pena de multa de R$ 10 mil por dia. Os motoristas realizarão assembleia na madrugada desta sexta para decidir se aceitam a proposta das empresas e se irão cumprir a determinação judicial.

Matéria disponível em Jornal A CIDADE

Motoristas decidem manter greve de ônibus em Ribeirão Preto (SP)

FOLHA UOL

     Os motoristas de ônibus de Ribeirão Preto (a 313 de Km de SP) decidiram na manhã desta terça-feira (4) manter a greve da categoria. A decisão, tomada em assembleia, afeta pelo menos 120 mil pessoas que dependem dos ônibus diariamente, segundo a prefeitura. Os trabalhadores recusaram o reajuste de 9% oferecido pelo consórcio Pró-Urbano, responsável pelo transporte coletivo da cidade, e também decidiram não circular com metade da frota dos ônibus.

     A paralisação, iniciada pelos motoristas ontem (3), foi decidida porque os trabalhadores pedem 16% de aumento salarial. Nesta segunda-feira (3), o TRT (Tribunal Regional do Trabalho) determinou que pelo menos 50% da frota de veículos circule normalmente durante a paralisação –seriam 173 dos 346 ônibus de Ribeirão.

     O sindicato optou em pagar a multa de R$ 10 mil estipulada pelo TRT em caso de não cumprimento da decisão. Os motoristas voltam a se reunir às 15h desta terça-feira.

Matéria disponível em: Folha Uol