Haddad coloca gays e travestis na fila prioritária do Minha Casa Minha Vida

VERDADE GOSPEL

   Uma resolução do Conselho Municipal de Habitação (CMH) definiu que gays em situação de violência, travestis moradores em albergues e índios também podem ser beneficiados com prioridade nas unidades do Programa Minha Casa Minha Vida construídas em São Paulo. A norma complementar ao projeto do governo federal, publicada nesta sexta-feira (31) no Diário Oficial da Cidade, também permite incluir na fila prioritária do programa moradores em áreas limites de municípios vizinhos da capital paulista e idosos sozinhos com mais de 60 anos.

   O objetivo das regras é incluir entre os beneficiários prioritários do programa centenas de gays e mulheres que sofreram ameaças ou violência doméstica e que são atendidos em albergues e moradias da Prefeitura. Dezenas de travestis que também moram nos abrigos municipais vão ter direito a tentar entrar no programa, desde que comprovem que está “oriunda de situação de rua”. São mais de 8 mil pessoas atendidas todos os dias nos 62 albergues, abrigos e casas de acolhimento do governo.

   Prioritariamente, o programa definiu o atendimento para moradores em áreas de risco, mulheres que cuidam sozinhas da família e casais de baixa renda com filhos, conforme decreto de 2009 do governo federal. Não havia categorias específicas para priorizar o atendimento de gays e de travestis sozinhos e em situação de violência, por exemplo.

   Segundo movimentos de moradia que também são parceiros na construção de unidades do Minha Casa Minha Vida na capital paulista, a pessoa que mora sozinha de aluguel (seja gay, solteiro adulto ou idoso) dificilmente consegue ser beneficiada.

   Na resolução publicada, o governo municipal também incluiu nesse rol de possível beneficiários do programa idosos sozinhos com mais de 60 anos, moradores na capital.

   Ao todo, a gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) está construindo na capital paulista 22 mil unidades do Minha Casa Minha Vida – a meta do governo é construir 55 mil até o final de 2016, para famílias que ganham menos de R$ 1.600 mensais. O programa do governo federal previa que o município parceiro nas obras poderia editar normas complementares para definir quem está em situação de vulnerabilidade na cidade.

Fonte: Estadão

Matéria extraída de Verdade Gospel

Anúncios

Projeto inclui pastores como beneficiários do “Minha Casa, Minha Vida”

FOLHA GOSPEL   

   Autoridades eclesiásticas poderão adquirir imóveis apresentando declarações de renda e tendo prioridade no atendimento.

   O senador Gim (PTB-DF) apresentou um Projeto de Lei do Senado (PLS) para dar prioridade a líderes religiosos no atendimento do programa “Minha Casa, Minha Vida”.
O PLS 18/2014 tem como objetivo criar algumas maneiras para diminuir a burocracia no programa para que padres, pastores, missionários e outros agentes credenciados por instituições religiosas consigam comprar imóveis.

O argumento do senador para apresentar este projeto é que muitas pessoas renunciam outras atividades profissionais para realizar o trabalho “de cunho essencialmente social”, mas encontram barreiras na hora de adquirir imóveis.

“A grande maioria dessas pessoas, espalhados pelo Brasil, não tem ainda sua moradia própria e continuam sem a perspectiva de tê-la diante das exigências de comprovante de renda do programa. Nada mais justo do que inserir essas pessoas entre os beneficiários do programa, eliminando tamanho entrave burocrático”, diz o texto do projeto.

 

Matéria completa em Folha Gospel

Fonte: Gospel Prime

Funcionários da CNT estão apreensivos com venda da rede para igreja

FOLHA GOSPEL

   As notícias sobre a venda da rede CNT para Valdemiro Santiago (foto), líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, estão deixando os funcionários da emissora apreensivos.

   O canal deverá ter, a partir de março, cerca de 20 horas da programação ocupadas por programas religiosos de Valdemiro. As demais horas serão compostas por jornalismo.

   Fontes da CNT dizem que Valdemiro pagará pelo canal R$ 500 milhões no prazo de cinco anos, em parcelas mensais. O religioso segue locando espaços em outras emissoras.

   Nenhum dos lados confirma oficialmente a venda. Procurados, dirigentes da CNT e da Igreja Mundial não comentam o assunto.

   A informação é da coluna Outro Canal, assinada por Keila Jimenez e publicada na Folha deste sábado (9).

Matéria completa em Folha Gospel