Marcha para Jesus reúne cerca de 500 mil pessoas no Rio

FOLHA GOSPEL

     No Rio de Janeiro, cerca de 500 mil pessoas participaram de uma passeata religiosa que acontece em várias cidades do mundo: a Marcha para Jesus.

Os fiéis entraram na marcha ao som de nove trios elétricos. Logo uma multidão formada por religiosos de todo o estado saiu em uma caminhada de cinco quilômetros, a partir da Central do Brasil.

“É a segunda vez que eu venho, e é muito bom”, disse uma jovem.
A primeira Marcha para Jesus aconteceu em Londres, em 1987, e se espalhou pelo mundo. No Rio de Janeiro, começou há 15 anos.

“É uma festa. Não é de nenhuma igreja, e é de qualquer pessoa que reconhece Jesus como senhor”, comentou o pastor Silas Malafaia. Depois da caminhada, um encontro de louvor na praça da Cinelândia, no Centro do Rio, embalado por shows de música gospel. Segundo a Polícia Militar, na frente do palco onde se apresentam 18 bandas, meio milhão de pessoas. “Há dez anos que eu frequento a Marcha para Jesus, e é um momento muito especial. É uma benção, um momento maravilhoso”, definiu um fiel.

Fonte: Site do Jornal Nacional

Matéria disponível em Folha Gospel

Anúncios

Mesa Diretora desliga Samuel Câmara da CGADB

FOLHA GOSPEL

     A reunião da Mesa Diretora da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) decidiu nesta quarta-feira (22), com sete votos a três, desligar o pastor Samuel Câmara de seu quadro de associados.

     O Conselho de Ética e Disciplina da convenção havia solicitado o desligamento sob a acusação de quebra de decoro, alegando que o pastor teria tumultuado a reunião da AGE que aconteceu em 2012 no estado de Alagoas.

Open in new window

     Além de Samuel Câmara (foto), os pastores Sóstenes Apolos, Jônatas Câmara e Ivan Bastos também estavam para ser julgados, porém os dois primeiros não compareceram na reunião por motivos médicos e Bastos, que agora é o 1º Tesoureiro da Mesa, só poderá ser julgado em uma Assembleia Geral Ordinária.

     Ao comentar a decisão em sua página no Facebook, o pastor Samuel Câmara afirmou que se trata de uma perseguição política e que irá recorrer.

     O julgamento dos pastores estava marcado para o mês de janeiro, mas uma liminar da Justiça impediu que ele acontecesse antes das eleições da CGADB, que aconteceu em 11 de abril durante a AGO de Brasília.

     Leia o comentário de Samuel Câmara sobre seu desligamento

Ao arrepio do Estatuto e do Regimento Interno, que não prevê esse tipo de sanção para a acusação de quebra de decoro alegada contra mim e os demais pastores já mencionados, a Mesa Diretora acaba de deliberar pelo meu desligamento da CGADB por sete votos a três. Votaram contra a decisão os pastores Antonio Dionísio, Jonas Francisco de Paula e Ivan Bastos.

Os processos contra o pastor Sóstenes Apolos e Jônatas Câmara foram temporariamente suspensos porque ambos justificaram a sua ausência por razões de ordem médica. Já o pastor Ivan Bastos só pode ser julgado, neste caso, pela AGO por pertencer à Mesa Diretora da CGADB. 

Infelizmente optaram, mais uma vez, por cometer uma arbitrariedade. Rito sumário como nas piores ditaduras. Fica caracterizada a perseguição política e a determinação de tirar do caminho e atropelar qualquer um que levante a sua voz contra os desmandos da administração que há 25 anos comanda a CGADB.

Diante desta atitude arbitrária, repito o nosso lema: “Porque Deus não nos deu um espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor e de moderação”, 1 Timóteo 1.7. 

Vamos recorrer da decisão, com tranquilidade. Eles buscam promover mais uma cisão. Nós buscamos a unidade assembleiana. Insistimos que nos cubram com as suas orações.

Fonte: Gospel Prime

Matéria disponível em Folha Gospel

Brasileiro só poupa metade do que precisa para se aposentar

EXAME

     São Paulo – Os brasileiros preveem que sua aposentadoria durará 23 anos, mas acreditam que suas economias acabarão em 12 anos, ou seja, 11 anos antes do tempo que consideram que permanecerão aposentados. Essa constatação foi feita a partir de uma pesquisa do HSBC sobre aposentadoria realizada com 15 mil pessoas de 15 países, sendo mais de mil entrevistados brasileiros.

     Segundo a pesquisa, o brasileiro começa a economizar para a aposentadoria quatro anos antes da média mundial, mas 64% dos entrevistados nunca pouparam para a aposentadoria.

     Pelo estudo também é possível dizer que os brasileiros se preocupam mais com o curto prazo do que com o longo prazo. Se tivessem que escolher entre poupar para as férias ou guardar o dinheiro para a aposentadoria, 49% afirmaram que escolheriam economizar para as férias, 43% poupariam para a aposentadoria e 8% não souberam responder.

     Aproximadamente 59% consideram inadequada sua preparação para a aposentadoria; 41% declararam que não fazem o suficiente; e 19% admitiram que não estão nem se preparando.

     Uma parcela de 38% dos entrevistados afirma que poupa regularmente. Dentre os que nunca pouparam para a aposentadoria, 42% justificam que não o fazem por causa do alto custo de vida e 24% responderam que não poupam porque nunca pensaram nisso.

Quando chegar a hora

     Os brasileiros acreditam que poderão viver confortavelmente durante a aposentadoria com 70% da sua renda atual.

     Ao se aposentar, 51% dos brasileiros disseram que pretendem passar mais tempo com a família e os amigos e 50% afirmaram que irão viajar. Questionados sobre os receios na aposentadoria, as principais preocupações mencionadas foram ter condição para pagar assistência médica e as dificuldades financeiras e parte dos entrevistados também disse que se preocupa em ter problemas de saúde.

     O receio de dificuldades financeiras é o principal motivo para poupar para a aposentadoria segundo 45% dos entrevistados. E 22% dos entrevistados também disseram que poupam pela percepção de uma baixa qualidade de vida de familiares já aposentados.

Planejamento financeiro

     A pesquisa também abordou os temas planejamento financeiro e consultoria profissional. Segundo os resultados, 42% dos entrevistados pouparam mais depois de começar a se planejar, seja formal ou informalmente, sendo que entre os que tiveram assessoria profissional, a porcentagem sobe para 58%.

     A previdência pública é considerada por 37% dos entrevistados uma importante fonte de renda na aposentadoria. Em média, as pessoas ouvidas pelo estudo consideram que a previdência pública comporá 31% de sua renda na aposentadoria.

Despreparo no Brasil e no mundo

     O estudo do HSBC revelou que a falta de planajeamento não é um problema apenas entre os brasileiros. Segundo a pesquisa, quase metade dos entrevistados em 15 países não está preparada para enfrentar sua aposentadoria de maneira adequada.

     E alguns dos países com maior renda no mundo, como o Reino Unido, a França, o Canadá e a Austrália são os menos preocupados com a aposentadoria.

Matéria disponível em: EXAME.COM

Maioria dos métodos de estudar para provas não funciona, diz estudo

G1

     Os métodos favoritos de se preparar para provas escolares não são os que garantem os melhores resultados para os estudantes, segundo uma pesquisa feita por um grupo de psicólogos americanos. Universidades e escolas sugerem aos estudantes uma grande variedade de formas de ajudá-los a lembrar o conteúdo dos cursos e garantir boas notas nos exames. Entre elas estão tabelas de revisão, canetas marcadoras, releitura de anotações ou resumos, além do uso de truques mnemônicos ou testar a si mesmo.

     Mas segundo o professor John Dunlosky, da Kent State University, em Ohio, nos Estados Unidos, os professores não sabem o suficiente sobre como a memória funciona e quais as técnicas são mais efetivas. Dunlosky e seus colegas avaliaram centenas de pesquisas científicas que estudaram dez das estratégias de revisão mais populares, e verificaram que oito delas não funcionam ou mesmo, em alguns casos, atrapalham o aprendizado. Por exemplo, muitos estudantes adoram marcar suas anotações com canetas marcadoras.

     Mas a pesquisa coordenada por Dunlosky – publicada pela Associação de Ciências Psicológicas – descobriu que marcar frases individuais em amarelo, verde ou rosa fosforescente pode prejudicar a revisão. ‘Quando os estudantes estão usando um marcador, eles comumente se concentram em um conceito por vez e estão menos propensos a integrar a informação que eles estão lendo em um contexto mais amplo’, diz ele. ‘Isso pode comprometer a compreensão sobre o material’, afirma. Mas ele não sugere o abandono dos marcadores, por reconhecer que elas são um ‘cobertor de segurança’ para muitos estudantes.

Resumos e mnemônicos
Os professores regularmente sugerem ler as anotações e os ensaios das aulas e fazer resumos. Mas Dunlosky diz: ‘Para nossa surpresa, parece que escrever resumos não ajuda em nada’. ‘Os estudantes que voltam e releem o texto aprendem tanto quanto os estudantes que escrevem um resumo enquanto leem’, diz.

     Outros guias para estudo sugerem o uso de truques mnemônicos, técnicas para auxiliar a memorização de palavras, fórmulas ou conceitos. Dunlosky afirma que eles podem funcionar bem para lembrar de pontos específicos, como ‘Minha terra tem palmeiras, onde canta o sabiá, Seno A Cosseno B, Seno B Cosseno A’, para lembrar a fórmula matemática do seno da soma de dois ângulos: sen (a + b) = sena.cosb + senb.cosa. Mas, ele adverte que eles não devem ser aplicados para outros tipos de materiais: ‘Eles não vão te ajudar a aprender grandes conceitos de matemática ou física’.

Repetição
Então, o que funciona? Somente duas das dez técnicas avaliadas se mostraram efetivas – testar-se a si mesmo e espalhar a revisão em um período de tempo mais longo. ‘Estudantes que testam a si mesmos ou tentam recuperar o material de sua memória vão aprender melhor aquele material no longo prazo’, diz Dunlosky. ‘Comece lendo o livro-texto e então faça cartões de estudo com os principais conceitos e teste a si mesmo. Um século de pesquisas mostra que a repetição de testes funciona’, afirma. Isso aconteceria porque o estudante fica mais envolvido com o tema e menos propenso a devaneios da mente.

     ‘Testar a si mesmo quando você tem a resposta certa parece produzir um rastro de memória mais elaborado conectado com seus conhecimentos anteriores, então você vai construir (o conhecimento) sobre o que já sabe’, diz o pesquisador.

‘Prática distribuída’
Porém a melhor estratégia é uma técnica chamada ‘prática distribuída’, de planejar antecipadamente e estudar em espaços de tempo espalhados – evitando, assim, de deixar para estudar de uma vez só na véspera do teste. Dunlosky diz que essa é a estratégia ‘mais poderosa’. ‘Em qualquer outro contexto, os estudantes já usam essa técnica. Se você vai fazer um recital de dança, não vai começar a praticar uma hora antes, mas ainda assim os estudantes fazem isso para estudar para exames’, observa.

     ‘Os estudantes que concentram o estudo podem passar nos exames, mas não retêm o material’, diz. ‘Uma boa dose de estudo concentrado após bastante prática distribuída é o melhor caminho’, avalia.

     Então, técnicas diferentes funcionam para indivíduos diferentes? Dunlosky afirma que não – as melhores técnicas funcionam para todos. E os especialistas acreditam que esse estudo possa ajudar os professores a ajudar seus alunos a estudar.

Matéria disponível em G1

PSC entra com recurso para sustar a decisão do CNJ sobre o casamento gay

GOSPEL PRIME

    O Partido Social Cristão (PSC) entrou nesta terça-feira (21) com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender a decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que obriga os cartórios de todo o Brasil a celebrar a união entre pessoas do mesmo sexo.

     O casamento gay foi aprovado por unanimidade na última semana durante uma sessão do CNJ e causa polêmica por não ter sido debatido no Congresso.

     Ao entrar com o mandado de segurança, o partido diz que a decisão não tem validade por não ter passado pelo processo dentro do Poder Legislativo. “O CNJ não tem legitimidade para normatizar o tratamento legal das uniões estáveis constituídas por pessoas de mesmo sexo, sem a existência de legislação”, diz trecho do recurso.

     O PSC chegou a dizer no documento que o ministro Joaquim Barbosa, presidente do CNJ e do STF, agiu com “abuso de poder” para impedir que o tema passasse pelos parlamentares.

     No documento do PSC entregue ao STF, o partido se posiciona como cristão e diz que “é totalmente contrário à união entre pessoas do mesmo sexo e sempre se posicionará neste sentido no Congresso”.

     Na semana passada o senador Magno Malta (PR-ES) também criticou a decisão do CNJ dizendo que ela é inconstitucional, por não caber ao conselho criar leis, mais interpretá-las e aplicá-las. O parlamentar também ficou responsável por entrar com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN)  no Supremo para sustar esta decisão.

Matéria disponível em Gospel Prime

Proposta em tramitação na Câmara inclui educação financeira no currículo escolar

UOL EDUCAÇÃO

     Um projeto de lei tramita no Congresso Nacional para incluir oficialmente a educação financeira no currículo escolar nos ensinos fundamental e médio. O projeto propõe que o tema integre o currículo de matemática. Especialistas no assunto, no entanto, defendem que a  educação financeira seja trabalhada de forma transversal, incluída em diversas disciplinas. Em tramitação desde 2009, o Projeto de Lei Nº 171/09, apresentado na Câmara dos Deputados, está na Comissão de Educação do Senado e aguarda para entrar na pauta.

     Há também uma iniciativa do governo federal que, em 2010, publicou decreto instituindo a Estratégia Nacional de Educação Financeira (Enef). A partir da estratégica, foi implantado um projeto piloto em escolas públicas e os resultados foram avaliados de forma positiva em 2011. Um dos desdobramentos da experiência foi a instalação de um grupo de apoio pedagógico que, de acordo com o Ministério da Educação, discute a validação de materiais pedagógicos de educação financeira elaborados para os nove anos do ensino fundamental e também para o ensino médio.

     Na rede privada de ensino, a educação financeira vem ganhando maior espaço porque as instituições tem mais flexibilidade no currículo. Um exemplo de dado sobre a implantação do tema é da consultoria Dsop Educação Financeira, que atende a mais de 500 escolas particulares em todo o país com a capacitação de professores e a distribuição de material didático. A consultoria também atende atualmente a rede municipal de educação de Goiânia,  Franco da Rocha (SP), Vitória, Guarujá (SP) e Barueri (SP), com ações em diferentes estágios de implementação.

     “As escolas privadas têm mais facilidade por não ter rede e há concorrência entre elas, então buscam oferecer atividades variadas. As escolas públicas têm redes muitas vezes extensas. Quando vamos para os estados, eles já têm a predisposição de ter educação financeira, mas nos municípios fica mais fácil, por ser uma rede menos extensa que a estadual e a federal”, explica o educador e consultor da Dsop Reinaldo Domingos.

MAtéria disponível em Uol

Magno Malta vai entrar com ação para sustar decisão do CNJ de autorizar casamento gay

FOLHA GOSPEL

     O senador evangélico Magno Malta (foto) afirma ainda que vai entrar com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade para que o Supremo responda por essa ação do CNJ.

O senador Magno Malta (PR-ES) se posicionou contra a resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que obriga os cartórios a realizarem o casamento civil gay e afirmou que vai entrar com um projeto de resolução para sustar a decisão. “Estou anunciando que vou entrar com projeto de resolução, que estou terminado de formatar, para sustar essa decisão do CNJ. E vou entrar ainda com um ADIM (Ação Direta de Inconstitucionalidade) para que o supremo responda por essa ação do CNJ que cuspiu, pisou, escarrou e fez tudo mais no código de processo civil desse País”, diz Malta.

Na avaliação de Malta a resolução desrespeita o Poder Legislativo que não aprovou essa decisão e afirma que teve informações que o assunto não chegou a ser discutido no CNJ “Tive uma informação privilegiada de lá de dentro, que esse assunto não foi discutido, que não estava em pauta e que entrou no afogadilho no final de uma reunião. Olha onde chegamos. Eu quero alertar o Brasil que o CNJ não é o parlamento. Se o supremo não pode fazer lei, imagine o CNJ. Quando o CNJ toma essa posição que não lhe é devida, ele não tem direito e nem autoridade, ele cuspe, pisa e rasga o código civil brasileiro”.

Segundo Joaquim Barbosa, o presidente do CNJ e autor da proposta, a resolução tem como objetivo efetivar à decisão que foi tomada em maio de 2011 pelo Supremo Tribunal Federal (STF) que, na época, liberou a união estável homoafetiva.

Na avaliação de Joaquim Barbosa, seria um contrassenso esperar a validação do casamento civil de homossexuais pelos parlamentares para se dar efetividade à decisão do STF, já que também está em discussão no Congresso Nacional. “Vamos exigir aprovação de nova lei pelo Congresso Nacional para dar eficácia à decisão que se tomou no Supremo? É um contrassenso”, analisa Barbosa, segundo G1.

As declarações de Magno Malta foram feitas no seminário “Os Desafios da Sociedade Pós-Moderna Pela Valorização da Vida e Fortalecimento da Família”, na qual afirmou ainda que a Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família, que é o presidente, pretende promover um debate e ouvir opiniões contrárias sobre os temas atuais.

Antes da provação do CNJ, as decisões de validação dos pedidos de conversão de união estável em casamento para os casais homossexuais ficavam a critério de cada cartório de conceder ou não. Com a decisão, segundo o texto da resolução, caso haja alguma recusa por parte do cartório em concretizar o casamento civil, o casal poderá comunicar o juiz corregedor do Tribunal de Justiça local, que tomará as providências cabíveis.

A decisão somente poderá agora ser questionada no Supremo Tribunal Federal (STF), na qual poderá ser realizada com um mandado de segurança, ação essa que tem o objetivo de questionar ato do poder público.

Matéria disponível em Folha Gospel

Dárcy segue em estado grave, porém estável, diz hospital de Brasília

A CIDADE

     A prefeita Dárcy Vera (PSD) permanece internada em estado grave, porém estável, na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Santa Luzia, em Brasília (DF). A informação consta no último boletim médico divulgado nesta quarta-feira (15), às 18h30.

     A prefeita teve de ser internada às pressas na tarde de terça-feira, em decorrência de pielonefrite (infeção renal) – quadro evolutivo de uma infecção urinária. “Dárcy Vera mantém sua pressão arterial com uso de medicações, mas respira sem necessidade de aparelhos”, consta em boletim médico. Segundo o médico Marcelo Maia, que assina a nota, a prefeita está consciente e orientada. Porém, não há previsão de alta.

     Em um boletim anterior, divulgado às 12h30 desta quarta, o mesmo médico informou que o estado clínico de Dárcy havia piorado na madrugada, com evolução para sepse – quando há infecção generalizada. Em entrevista à EPTV, o secretário da Saúde, Stênio Miranda, que acompanha Dárcy em Brasília desde quarta, negou qualquer infecção generalizada. “É um quadro de infecção. Classificado, sim, como grave, mas não é uma infecção generalizada. Não é uma septcemia. Não estamos numa situação dessa”, disse.

     Segundo Stênio, a permanência de Dárcy na UTI será avaliada depois de ela permanecer 48h após aplicação dos medicamentos, de acordo com a evolução do estado de saúde. “Nas primeiras 48h ela ficará no hospital. Até amanhã [quinta-feira, dia 16], no final da tarde, início da noite, permanecerá aqui”. O secretário diz que não há intenção para transferi-la de Brasília para Ribeirão. Dárcy foi transferida para a UTI, às 23h09 de terça-feira, e desde então o seu quadro de saúde piorou.

No Senado

     Em Brasília para participar de reuniões organizadas pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP), a prefeita decidiu procurar atendimento médico enquanto aguardava para falar com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB). Uma assessora que acompanhava Dárcy em Brasília disse que ela começou a se sentir muito mal. O primeiro atendimento médico ocorreu na enfermaria do Senado. De lá, a prefeita foi levada para o Hospital Santa Luzia.

Prefeita passa uma madrugada bastante difícil

     A prefeita Dárcy Vera teve nesta quarta uma madrugada bastante difícil. Isso porque o estado de saúde dela só piorou desde quando deu entrada no Hospital Santa Luzia, às 17h30, de terça-feira. Pelo histórico relatado pelo médico Marcelo Maia, a prefeita deu entrada no hospital com febre, frequência cardíaca alta, com foco inflamatório presumido nas vias urinárias. Às 23h09, segundo boletim médico, Dárcy foi transferida para a UTI após a constatação de alteração em seu estado de saúde. “Posteriormente, à 1h, foi constatada uma piora em seu estado clínico, com evolução para sepse. Ainda, em um diagnóstico topográfico, foi apresentado pielonefrite [infecção no rim] localizada à direita”, consta em boletim.

     O primeiro médico a atender Dárcy no Senado foi o clínico e cardiologista Ivan Pereira Penna. Em entrevista ao A Cidade, ele disse que a prefeita procurou a enfermaria com febre e dores nas costas. “Suspeitamos de pielonefrite e a encaminhamos ao hospital com urgência.”

Matéria disponível em Jornal A CIDADE

Estado de saúde da prefeita Dárcy Vera é grave, informa assessoria

G1

     A assessora de gabinete de Dárcy Vera (PSD), Amanda Martins, confirmou na noite desta terça-feira (14) que o estado de saúde da prefeita de Ribeirão Preto (SP) é considerado grave. Segundo ela, a chefe do Executivo municipal, internada após uma indisposição durante visita a Brasília (DF), está com uma infecção generalizada e foi encaminhada para observação na UTI do Hospital Santa Luzia. A reportagem não conseguiu falar com a equipe do hospital até a publicação desta matéria.

     Em Brasília para participar da Frente Nacional dos Prefeitos, Dárcy tinha sido encaminhada para atendimento médico logo depois do almoço, em razão de uma suspeita de infecção urinária. Atendida inicialmente em um centro médico do Senado, a prefeita cancelou sua agenda política e foi transferida para o Hospital Santa Luzia após apresentar febre de 39 graus, alta frequência cardíaca, pressão baixa, dor de cabeça e calafrios, informou sua assessoria de gabinete. “Ela já não estava bem de manhã”, disse Amanda Martins.

     Desde então, o quadro clínico da prefeita se agravou, segundo Amanda, e Dárcy terá que ficar ao menos até quinta-feira (16) em observação. “A infecção foi para o sangue. Por conta disso, ela terá que ficar isolada na UTI pelas próximas 48 horas”, afirmou, por telefone, ao G1. De acordo com a assessora, Dárcy está consciente e está tomando antibióticos.

Matéria disponível em G1

Billy Graham planeja ‘última’ cruzada evangelística

Folha Gospel

     O famoso pregador Billy Graham está se preparando para o que está sendo considerado seu último sermão público. Ele tem o intuito de que a mensagem chegue a todos os lares norte-americanos.

A Associação Evangelística Billy Graham vai lançar o projeto “Minha Esperança América com Billy Graham” no próximo outono norte-americano. Trata-se de um curso em vídeo sobre evangelismo. A série vai incentivar a criação de pequenos grupos que se reunirão para juntos assistirem os vídeos das mensagens que Graham gravou ao longo de sua carreira, segundo informações da revista Christianity Today.

Open in new window

     Uma mensagem específica dos episódios está sendo trabalhada pela associação como o último sermão de Billy Graham. Em seu site, um leitor lhe perguntou recentemente: “Eu ouvi outro dizer que você planeja pregar uma vez mais antes que Deus o leve para o céu. Está certo?”, questionou. O pastor respondeu que sim. “É a primeira vez que a América do Norte recebe o Minha Esperança. O objetivo é que a mensagem seja transmitida nos Estados Unidos e no Canadá.” Apesar do clima de consternação pelo fim do ministério, a expectativa é celebrar os frutos do ministério ao longo do tempo. “Espero que esta campanha seja a maior cruzada que como nunca celebramos”, afirmou Graham.

“É muito entusiasmante para mim, como neto, ver o meu avô terminar bem. Ele não consegue ver bem; ele não consegue ouvir bem. Por isso é-lhe difícil estudar a Bíblia”, disse recentemente Will Graham, neto do evangelista.

“É um esforço nacional para alcançar as pessoas nos Estados Unidos com o Evangelho de Jesus Cristo. Seguindo um modelo bíblico simples, a ‘Minha esperança América com Billy Graham’ vai combinar o impacto dos programas de vídeo com o poder dos relacionamentos pessoais. Sob a orientação de seus pastores locais, os cristãos em todo os Estados Unidos irão abrir suas casas para compartilhar a mensagem do Evangelho com amigos, familiares, colegas e vizinhos utilizando o vídeo com Billy Graham, música dinâmica e testemunhos”, explica o site sobre a cruzada.

Minha Esperança convida os cristãos para que se tornem numa espécie de ‘Mateus’, sendo hospitaleiros para que se ouça a mensagem de Billy Graham. O apóstolo recebeu as pessoas em sua casa para se encontrarem com Jesus como visto em Mateus 9:9-10, cita o site. O projeto começou em 2002 em El Salvador, com 60 mil reuniões promovidas nas casas.

Os dados da instituição revelam que Minha Esperança chegou a 57 países, alcançando mais de 10 milhões de pessoas que decidiram por aceitar Jesus Cristo. Cerca de 300.000 igrejas em todo o mundo já participaram do evangelismo organizado por Billy Graham.

Fonte: The Christian Post

Matéria disponível em Folha Gospel

Em poucas horas, gangue rouba milhões de caixas eletrônicos em 26 países

Folha Gospel

     Uma gangue de criminosos roubou um total de US$ 45 milhões (cerca de R$ 90 milhões) em questão de horas ao invadir sites com bancos de dados de cartões de débito pré-pagos para depois fazer saques em caixas eletrônicos em 26 países diferentes.

Ao entrar em sistemas de bancos nos Emirados Árabes Unidos e em Omã, eles teriam conseguido obter dados das contas de clientes e eliminar os limites a saques nos cartões deles.

Em seguida, eles transferiam as informações das contas hackeadas para outros integrantes da rede, que preparavam cartões magnéticos para saques em caixas automáticos. Para esse fim, eles carregavam cartões de crédito vencidos, cartões de presentes e cartões que serviam como chave de hotéis com as informações roubadas. Esse cartões convertidos eram rapidamente usados para saques em caixas eletrônicos de 26 países. Somente em Nova York, eles teriam sacado um total de US$ 2,5 milhões (R$ 5 milhões) em apenas dez horas.

Mochila cheia

Diferentes imagens de câmeras de circuito interno de segurança de bancos flagraram um membro da gangue com a mochila cada vez mais cheia com o dinheiro que ia retirando dos caixas eletrônicos.

Em um celular de um dos integrantes da gangue, a polícia encontrou imagens dele exibindo dinheiro roubado. A investigação para desbaratar a ação dos cibercriminosos envolveu autoridades nos Estados Unidos, Japão, Canadá, Grã-Bretanha, Romênia e outros 12 países.

Em Nova York, sete pessoas da célula americana da gangue internacional foram presas em conexão com os crimes. Eles enfrentam acusações de conspiração para cometer fraude e lavagem de dinheiro. Um oitavo integrante da facção americana dos cibercriminosos teria sido assassinado em abril na República Dominicana. “Os envolvidos e seus ajudantes participaram de um gigantesco assalto a banco do século 21 que se espalhou pela internet e pelo planeta”, afirmou Loretta Lynch, procuradora do distrito Leste de Nova York.

Investigadores acreditam que o grupo invadiu o sistema do Banco de Muscat, em Omã, em fevereiro. E em questão de dez horas, integrantes da gangue teriam sacado US$ 40 milhões (cerca de R$ 80 milhões) em caixas eletrônicos. Segundo a promotoria de Nova York, eles agiram rapidamente para “lavar” o dinheiro, abrindo uma conta bancária em um banco de Miami e gastando o dinheiro em automóveis, entre eles um Porsche e um Mercedes, e relógios Rolex.

Fonte: BBC Brasil

Matéria disponível em Folha Gospel

Dengue faz estoque de sangue atingir nível crítico no Hemocentro de Ribeirão

Reserva está praticamente zerada, porque pacientes com dengue não podem doar um mês após a doença

10/05/2013 – 23:34

Jornal A Cidade – Mariana Lucera

Alterar o tamanho da letra A+ A A-


Joyce Cury / A Cidade

Estoque de sangue do Hemocentro está perto do fim (Foto: Joyce Cury / A Cidade)

O estoque do banco de sangue do Hemocentro de Ribeirão Preto atingiu níveis críticos esta semana. Nesta sexta-feira (10), no período da tarde, o local contava apenas com duas bolsas de sangue O- e apenas três do tipo A- , os mais comuns.

A gerente de comunicação social do Hemocentro, Miriam Mendes Castanheira, explica que o grande número de casos de pessoas com dengue em Ribeirão Preto e região, além do tempo frio, afastaram os doadores e, com isso, reduziram o volume de sangue em estoque.

“Tivemos ontem [quinta-feira, dia 9] pessoas que vieram doar, mas o sangue não pôde ser colhido porque eram pessoas com dengue. A doença deixa o doador inapto para doações por um mês, depois de ter se recuperado da doença”, explica Miriam.

Para se ter uma ideia de quão crítica está a situação, são necessárias 65 bolsas, no mínimo, para o estoque do sangue O-. Já para o tipo A- são precisas 45 bolsas, no mínimo. O O+, por sua vez, contava com 100 bolsas, quando o ideal seriam 350, pelo menos, no estoque.

“Nossa necessidade é muito grande. Por exemplo, se chegar um fígado para ser transplantado no Hospital das Clínicas é preciso ter, no mínimo, 50 bolsas de sangue do tipo do paciente para fazer a cirurgia”, explica a assessora do HC.

O problema da falta de sangue pode levar, inclusive, ao adiamento de cirurgias eletivas, feitas diariamente no Hospital das Clínicas.

“Além do sangue para cirurgias, existem pacientes que dependem mensalmente de transfusões, por conta de doenças genéticas como talassemia e anemia falciforme”, explica Miriam.

O Hemocentro está fazendo um apelo para conscientizar a população da importância da doação e pede que quem estiver em condições vá até o local.

Leia mais no Jornal A Cidade 

Infográficos / A Cidade

Campanha de vacinação contra a gripe acaba nesta sexta-feira

G1

     A campanha nacional de vacinação contra a gripe termina nesta sexta-feira (10). Até a tarde desta quinta-feira, mais de 28,2 milhões de pessoas foram vacinadas no país,  o que representa 90% da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde.

     Essa meta corresponde a 80% do público-alvo total, que inclui idosos com 60 anos ou mais, crianças de 6 meses a 2 anos, gestantes, indígenas, presidiários e profissionais de saúde. A previsão anterior era que a campanha terminasse em 26 de abril, mas ela foi prorrogada para as pessoas terem mais tempo de se imunizarem.

     Segundo o Ministério da Saúde, muitos estados ainda estão abaixo da meta. A população da região Nordeste é a que menos foi vacinada, seguida da Centro-Oeste, Norte e Sudeste. A região Sul lidera e ultrapassou a meta, com 86% do público-alvo imunizado. Os estados de Roraima, Mato Grosso e Ceará são os que menos vacinaram, e ainda não chegaram a 68% da meta.

Vírus influenza
A imunização protege contra os três subtipos do vírus influenza que mais circularam no inverno passado: A (H1N1) – conhecido popularmente como gripe suína –, A (H3N2) e B. Foram distribuídas, neste ano, 43 milhões de doses da vacina para 65 mil postos de saúde, segundo a pasta. Em 2012, 26 milhões de pessoas foram imunizadas, número equivalente a 86,3% do público-alvo naquele ano. O índice superou a meta prevista, de 80% do público.

     O objetivo deste ano era de atingir cerca de 80% do público-alvo da ação, que inclui idosos com 60 anos ou mais, crianças de 6 meses a 2 anos, gestantes, indígenas, presidiários e profissionais de saúde. Doentes crônicos e mulheres no período até 45 dias depois do parto também devem receber  a vacina.

     “A vacinação é segura e feita com o objetivo de diminuir o risco de ter doença grave e evitar o óbito. Ao mesmo tempo, as pessoas que apresentarem os sintomas de gripe devem procurar o posto de saúde, porque tem tratamento”, afirmou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, em nota oficial divulgada pelo ministério.

Reduzir internações
O principal objetivo da campanha é ajudar a reduzir as complicações, internações e mortes decorrentes da gripe. A meta é reforçar o atendimento às pessoas com doenças crônicas, independentemente da faixa etária. Isso inclui quem tem problemas cardíacos, pulmonares, transplante de rim, obesidade, deficiência mental e pacientes que usam medicamentos imunossupressores, entre outros.

     A novidade de 2013 foi que os doentes crônicos tiveram acesso ampliado a todos os postos de saúde, e não apenas aos Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais (Cries). Para isso, é preciso apresentar apenas a prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes já cadastrados em programas de controle de doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) devem procurar os postos em que estão inscritos. Caso a unidade de saúde que oferece atendimento regular não tenha um posto de vacinação, a pessoa deve solicitar uma prescrição médica.

     Os pacientes da rede privada ou conveniada também devem ter prescrição médica e apresentá-la nos postos durante a campanha.

Matéria disponível em G1

Estudo vê indício de continente submerso entre Brasil e África

FOLHA GOSPEL

     Em expedição feita em parceria com o Japão, geólogos brasileiros encontraram a presença de granito em uma formação rochosa conhecida como Elevado Rio Grande, uma cordilheira submersa a mais de mil quilômetros da costa brasileira. Antes, especulava-se que a formação poderia ser de rochas vulcânicas, as mais comuns no fundo do oceano.

     A presença de granito nas rochas comprovaria a tese de que parte desse elevado –uma área equivalente à metade do Estado de São Paulo– é a continuidade da plataforma continental brasileira, que teria caído no fundo do oceano na época da separação do continente sul-americano da África, há cerca de 130 milhões de anos. O achado pode estender a zona econômica exclusiva na costa brasileira, aumentando o monopólio do país sobre riquezas no fundo do oceano.

  A pesquisa, divulgada ontem, faz parte de uma campanha iniciada em janeiro pelo navio japonês Yokosuka, que hospeda o submersível Shinkai 6500, equipamento de alta tecnologia que tornou possível o estudo das rochas. A expedição é fruto de uma parceria entre a CPRM (Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais), a Jamstec (Agência Japonesa de Ciência e Tecnologia da Terra e do Mar) e a USP. Patrocinado pela Jamstec, o Shinkai 6500 viajará por um ano pelo mundo investigando formações como a brasileira, um projeto estimado em US$ 10 milhões. “A ida do Shinkai à região fortaleceu o que antes era hipótese. Granito não é uma rocha vulcânica, é um pedaço do continente que foi deixado para trás”, disse o diretor da CPRM, Roberto Ventura, dando como exemplo de granito o Pão de Açúcar, um dos cartões postais do Rio.

MERGULHOS

     O geólogo da CPRM Eugênio Pires Frasão, um dos seis brasileiros que participaram da expedição, passou cerca de oito horas por dia submerso fazendo a pesquisa. De 30 de abril a 2 de maio, foram sete mergulhos para coletar amostras. Mas, para comprovar a tese, a CPRM terá ainda que fazer perfurações no local, o que está previsto para ocorrer ainda neste ano. Entre agosto e setembro, será lançada uma licitação para contratar uma empresa de perfuração no local. Para a professora da USP Naomi Ussami, que estuda a formação da Elevado Rio Grande, a descoberta, se comprovada, vai mudar a história do Atlântico Sul, além de resolver um debate que se arrasta há anos sobre a extensão da plataforma continental brasileira. “Se for pedaço da crosta continental, é um pedaço de Brasil, e aí passa a ser área exclusiva de exploração pelo país”, disse.

   O navio custou US$ 100 milhões ao governo japonês e o Shinkai 6.500, US$ 130 milhões, investimentos que, segundo pesquisadores brasileiros, estão além das possibilidades do Brasil. Sem esses equipamentos, o país levaria anos para confirmar as suspeitas de que uma parte do continente se desprendeu na separação do Brasil e da África. Nos últimos quatro anos, o Brasil investiu R$ 80 milhões em pesquisas na Elevado Rio Grande.

Fonte: Folha de São Paulo

Matéria disponível em Folha Gospel

Pesquisa mostra que evangélicos são maioria entre jogadores de futebol no Brasil

Folha Gospel

     Cerca de 33% dos jogadores de futebol no Brasil são evangélicos. É o que aponta uma pesquisa desenvolvida pelo UOL. A pesquisa mostrou ainda que 19% dos boleiros não possuem religião e 18% deles são católicos. Vinte e oito por cento dos jogadores de futebol preferiu não responder sobre esta questão, 2% declaram ser batistas. O levantamento do portal foi realizado com atletas das 12 maiores equipes do país.
     Em anonimato, participaram da pesquisa jogadores de Atlético-MG, Botafogo, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Fluminense, Grêmio, Internacional, Palmeiras, Santos, São Paulo e Vasco da Gama.
     O estudo tratou ainda sobre temas como bebidas alcoólicas, drogas e homossexualismo. Os dados obtidos mostraram que 56% dos entrevistados dizem que existir atletas gays atuando pelos grandes clubes do Brasil.
     Em relação às bebidas, a maioria afirmou consumir álcool com regularidade, 42% dos entrevistados disseram beber ao menos uma vez por semana. Já sobre as drogas, 66% garantiram jamais ter experimentado qualquer tipo.
     A pesquisa perguntou também sobre a controvérsia do sexo na concentração. A maioria dos atletas, 65%, declarou ser favorável a liberação e garantiram que o ato não atrapalha o desempenho dos jogadores dentro de campo.

Fonte: The Christian Post

Matéria disponível em Folha Gospel